Relacionamento sanguessuga

Olá! Tudo bem?

Neste momento tenho refletido bastante em determinados relacionamentos onde um dos parceiros se comportam como sanguessugas.

Nossa Claudia, era só o que faltava! Um amor sanguessuga!

Pois é meu amigo, minha amiga, infelizmente esse tipo de relacionamento acontece mais do que você pode imaginar.

Lembra o que faz um sanguessuga? Esse parasita, ao encontrar um hospedeiro, começa a sugar o sangue, alimentando-se e consequentemente enfraquecendo a vítima que nada percebe devido substância anestésica produzida e liberada pelo próprio sanguessuga.

Pois é, atualmente é bem comum esse tipo de relação. O sanguessuga conhece bem o perfil de sua vítima, ou hospedeiro. Geralmente costumam ser pessoas carentes, de auto-estima baixa e emocionalmente fragilizadas de alguma forma. Pessoas que desejam ser notadas, apreciadas, motivadas e valorizadas. Que necessitam serem amadas, cuidadas, protegidas e atendidas em suas necessidades.

E aí chega o parasita, todo falante, gentil, doce…, cheio de atenção e cuidados. Demonstrando um sentimento que chamará de amor, afinal, é isso que a vítima precisa ouvir: que é amada, ou amado, ou seja, o parasita anestesiou.

Finalmente o hospedeiro encontrou alguém que compreende suas dores e angústias. Alguém que demonstrará tanto ciúme, ao ponto de proibir sua aproximação com amigos, familiares, afastando-o do convívio social.

Poxa Claudia! Eu acredito que é porque ele me ama tanto, ou ela me ama tanto que sente ciúmes, não quer de forma alguma me dividir com outras pessoas, e eu nunca tive isso em minha vida. Então, prefiro ficar em meu lugar e esperar para não causar irritação, caso o contrário acaba em discussão, e o que menos quero é contrariar a pessoa que amo, porque quando brigamos vejo o grande mal que causo, pois fica com muita raiva e com isso se entristece, e aí vai embora, e eu fico sofrendo, chorando, entro em depressão, afinal ele/ela tem razão, a culpa sempre é minha. Tudo isso porque o/a desagradei.

Mas, me diz uma coisa:

Até quando você suportará esse ciúme ou cuidado doentio?

Até quando conseguirá ficar distante das pessoas conhecidas, de seu grupo de amigos e de seus familiares?

Até quando essa exclusividade te fará bem?

Quer dizer que todas as vezes que você desejar agir, interagir com outros, conversar, sorrir, brincar, você estará o contrariando, ou seja, passando por cima das vontades dele ou dela? Como assim?

Até quando ‘permitirá’ ser anulado, ou anulada?

Meu querido, minha querida…, lembra? O parasita te anestesiou…, você não consegue perceber aquilo que possivelmente muitos estão vendo. Primeiro ele te encantou, oferecendo gentilmente aquilo que afetivamente, sentimentalmente você necessitava, e com isso conquistou, dominou e passou a te sugar. Afastando-te de todos que certamente iriam perceber o comportamento dele ou dela e te alertaria, prejudicando com isso os objetivos que pretendia, pois essas pessoas são muito egoístas. Para eles, o mundo gira em torno deles, seus caprichos precisam ser satisfeitos, se não, se sentirão ofendidos.

Interessante que a vítima começa a se isolar, se deprimir, afastando-se daqueles que faziam parte do seu convívio social. Elas entram em um processo de adoecimento. Seu espírito geme, pois tudo está doendo, afinal, sua alma está escravizada. Você é o hospedeiro e o parasita não quer te perder, pois alimenta-se de você, de sua vida, de seus sonhos, de suas conquistas, de seus projetos. E aí, você está anêmico emocionalmente, sem forças, e o pior de tudo isso, é que mesmo assim, você não consegue reconhecer e consequentemente admitir quem realmente é o causador dos seus males, tornando-se dependente do parasita.

E mais, os sanguessugas tem a capacidade de provocar o sentimento de culpa na vítima.

Sim, você é culpado (a) do sanguessuga está te agredindo. Pois foi você que não fez segundo aquilo que ele queria que fizesse. Você o magoou e agora precisa correr atrás, pois está ofendido e sofrendo. E, segundo o sanguessuga, se tem alguém que precisa ser compreendido e agradado esse alguém é ele.

Meu amigo, minha amiga, que situação!

Posso te dar uma sugestão?

Acorda!

Estão sugando você!

Somente você pode colocar fim nessa situação. Sim, nessa relação doentia. Liberte-se! Não permita que sua energia vital seja sugada. Retome o controle de sua vida, de seus sonhos e não abra mão de tudo que conquistou e precisa conquistar. Volte ao convívio das pessoas e daqueles que sempre estiveram ao seu lado. Liberte-se desse sentimento de culpa que tanto te machuca e deprime.

Cuide de você, restabeleça-se, ganhe forças!

Recupere-se do estrago emocional causado por uma pessoa que não consegue amar a ninguém além dela mesma.

Aprenda a se amar. Sua auto-estima precisa dos seus cuidados e atenção.

Busque se conhecer melhor e descubra o que, ou quem realmente você deseja ao seu lado, em sua vida.

Seja exigente. Afinal, é para estar ao seu lado, te amando e compartilhando. Fazendo bem a sua mente, corpo e espírito. Então, espere, queira sempre o melhor, e livre-se desse Relacionamento Sanguessuga.

Um grande abraço!

* Claudia Correia
[email protected]
Facebook: Claudia Correia de Melo

Assuntos desta notícia