Pular para o conteúdo

Senador questiona vazamento do conteúdo de delações premiadas da Lava Jato

O primeiro vice-presidente do Senado da República, Jorge Viana (PT/AC), criticou o vazamento do conteúdo das delações premiadas à Justiça Federal do Paraná, que investiga as irregularidades envolvendo contratos entre a Petrobras e empreiteiras, através da operação Lava Jato.

O senador questiona que, embora as denúncias sejam feitas em segredo de Justiça, muitos trechos do depoimento acabam sendo divulgados. Ele solicitou ao Supremo Tribunal Federal que não permita a transmissão dos áudios dos depoimentos dos envolvidos na operação Lava Jato pelos meios de comunicação.



“Apesar de serem feitos em segredo de Justiça, não entendo como alguns trechos dos depoimentos, especialmente os que afetam o governo e o PT, acabam sendo divulgados sem nada acontecer. O ideal seria a transmissão dos meios de comunicação pelos depoimentos para que todo o Brasil saiba integralmente o conteúdo das delações”, frisou.

Aproveitando o ensejo, Jorge Viana voltou a defender a redução nos custos de campanha. Ele citou que diversas irregularidades divulgadas na imprensa, nos últimos dias, dizem respeito ao financiamento de candidatos nas eleições.

Outro ponto questionado pelo senador diz respeito às doações feitas ao Partido dos Trabalhadores. Segundo ele, sempre que se refere às contribuições relativas à sigla, são taxadas de irregulares.

“Quando se trata de doações a outros partidos, são consideradas lícitas, mas quando se trata do PT, são sempre consideradas ilegais. Essa hipocrisia que o Brasil está vivendo não pode seguir adiante”, frisou o senador ao lembrar que a empresa Andrade Gutierrez doou R$ 24,95 milhões para o PSDB, e R$ 14 milhões para o PT para o PSDB. “Lamentável que os recursos dados ao PSDB sejam considerados ‘limpos’, enquanto a doação ao PT é dinheiro ‘sujo’”, finalizou.

error: Conteúdo protegido!!!