Nível de emprego no setor automobilístico se mantém estável, diz presidente da Fecomércio

O presidente da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Acre (Fecomercio/AC), Leandro Domingos, destacou a situação da atividade econômica no País diante da crise econômica. Para Domingos, mesmo com os problemas no que diz respeito ao setor das vendas e produções automotivas, o nível de emprego tem se mantido estável.

Os problemas econômicos no Brasil têm afetado diretamente a atividade financeira, com redução sistemática em vendas e na produção de certos itens, e um dos setores mais impactados têm sido o dos veículos automotores, o que culmina na queda da produção e níveis de emprego. Em todo o País, 250 concessionárias fecharam em 2015, e 12 mil trabalhadores foram demitidos. Além disso, entidades representantes indicaram uma queda nas vendas para este ano na ordem de 23%.

Segundo Leandro Domingos, porém, quando se analisa o comportamento do mercado acreano, observa-se que as vendas continuam em patamares considerados satisfatórios, se comparadas com as demais unidades federativas. “Compilando-se os resultados, verifica-se que as vendas do primeiro semestre de 2015 foram inferiores ao primeiro semestre de 2013 em apenas 1,35%, no Estado, enquanto nacionalmente decresceu aproximadamente 19%. Para análise do mercado acreano, utilizamos os dados de 2013, em face de 2014 ter sido um ano atípico, já que o setor se deparou com uma paralisação de 90 dias por conta do isolamento do Acre”, explica o presidente, acrescentando, ainda, que este fato faz com que as vendas do primeiro semestre de 2015 sejam 17,68% superiores ao igual período de 2014. “Portanto, não se espelham à realidade do mercado”.

Este momento, para Domingos, continua de preocupação para o setor, já que a produção nacional continua a decrescer no setor automobilístico. “E as vendas estão retraídas”, salienta. O presidente comenta, ainda, que a restrição de crédito ao consumidor, o nível de endividamento das famílias e a insegurança das pessoas quanto aos rumos da economia são fatores facilitadores para a queda das vendas. “Além do medo de perder o emprego”, enfatiza.

A venda mensal de automóveis leves no Acre, segundo Domingos, é de 700 unidades, de modo que o vendido atualmente é de 660. “Existem, no mercado acreano, em torno de 15 marcas de veículos automotores são comercializadas. É de se presumir, neste contexto, que algumas concessionárias de pequeno porte possam ter problemas com o baixo volume de vendas”, avalia. Porém, o presidente ressalta que, em linhas gerais, a situação ainda não está desfavorável, como no resto do Brasil. (Ascom Fecomercio/AC)

Assuntos desta notícia