Pular para o conteúdo

Com apenas 16 anos, jovem acreano representará o Acre na Câmara Federal

 O estudante Rodrigo de Paiva Soares, de 16 anos, da escola João Batista Aguiar, representará o Estado na Câmara dos Deputados Federais, em Brasília. O aluno foi selecionado através do programa Parlamento Jovem Brasileiro (PJB). Estudantes de todo o país participarão da simulação do processo parlamentar, entre os dias 21 e 25 de setembro. No total, 78 projetos foram selecionados.

O objetivo do PJB é despertar nos jovens o interesse e a reflexão crítica sobre a importância da representação política. Durante uma semana os jovens parlamentares participaram de workshop, oficinas e palestras. Além de seguir a rotina dos parlamentares: formar chapas, eleger a mesa diretora, elaborar pautas, atuar nas sessões deliberativas e reúnem-se em comissões.



Inspirado por sua professora de biologia, Marineide Adativa, o estudante acreano viu a oportunidade de unir ciência, tecnologia e ciências. Sua história começou durante a 66ª Reunião Anual da Sociedade Brasileira Para o Progresso da Ciência (SBPC), em 2014, que aconteceu na Universidade Federal do Acre (Ufac). “Tive a oportunidade de ministrar nosso projeto lá, foi muito gratificante, foi um momento único na minha vida. Foi quando eu me descobri jovem cientista. Depois disso comecei a me envolver com política, resgatei o grêmio estudantil da escola, me candidatei presidente e fui eleito”, contou.

Nesse ano, o programa parlamento Jovem Brasileiro recebeu mais de 1.500 projetos. Com a nota máxima de 100 pontos, o estudante Rodrigo alcançou 94 pontos no seu projeto. “Fiquei muito feliz! Minha pontuação foi superior a pontuação de alguns jovens de São Paulo, minha pontuação ficou entre as melhores. Acredito que eu fiquei mais feliz por eu ter desenvolvido um bom projeto de lei, do que estar participando do parlamento, claro, para mim foi muito importante”, relatou o jovem parlamentar.

O projeto do jovem acreano propõe a obrigatoriedade das escolas públicas de ensino fundamental e médio, de incentivar e investir em Ciência e Tecnologia nas atividades escolares. “O maior objetivo do meu projeto é fazer com que jovens estudantes deixem a postura de apenas alunos e passem a ser jovens cientistas. Que possam elaborar projetos científicos, para futuramente colaborar com o desenvolvimento do país”, explicou Rodrigo.

Segundo a coordenadora estadual do PJB, Vera Lúcia, o principal objetivo do programa é criar cidadão atuantes. “Claro que existe um prêmio para o melhor projeto de lei elaborado, mas o objetivo maior é que os professores nas escolas criem um ambiente de projetos de leis, é estender esse projeto para as salas de aulas. Quantos mais alunos e professores participarem a atuação desses jovens será bem maior”, afirmou.

Por fim, Vera Lúcia destacou a possibilidade do projeto do jovem estudante poder se tornar lei federal. “Um Deputado Federal pode se inspirar ou compreender esse projeto, se ele achar que é bom projeto, que é válido ele pode levar para ser votado. Esses meninos têm uma capacidade de repente, de mudar a realidade de todos os brasileiros por causa dessa experiência”, concluiu a coordenadora.

FOTO BRUNA MELLO - COORD VERA LÚCIA FOTO BRUNA MELLO - ESTUDANTE RODRIGO

 

error: Conteúdo protegido!!!