Pular para o conteúdo

Diretor do ISE nega falta de água aos adolescentes e entrada do Bope na Unidade do Santa Juliana

O presidente do Instituto Socioeducativo do Acre (ISE), Rafael Almeida, confirmou que aproximadamente 75 adolescentes que cumprem medidas socioeducativas no Centro Socioeducativo Santa Juliana bateram nas grades das celas para reivindicar mais tempo de visita e visitas íntimas, neste domingo, 23. Outro motivo do motim seria uma suposta falta de água no local, informação negada pelo diretor do órgão.

Rafael Almeida confirma que o Bope foi até o local para atender a ocorrência que levou cerca de 30 minutos para ser contornada, mas que não precisou sequer entrar na unidade. “Eles ficaram no estacionamento. Durante o motim, os jovens chutaram as grades e gritavam para chamar atenção. Houve batedeira de grade, das cinco alas que nós temos, três bateram grades, mas a situação foi contornada. A visita aconteceu normalmente e não houve gravidades”, apontou.



Sobre a suposta falta de água no local, o presidente destacou que a informação não procede. “A água que eles tomam é de primeira. Temos quatro poços que abastecem nossa unidade e uma empresa terceirizada faz o serviço de manutenção. Fazemos semanalmente manutenção nos poços e filtros de água”, argumentou.

Segundo o presidente, o horário de visita é das 7h30 às 17h30. Ele destacou que cada interno pode ficar duas horas com os familiares e não são permitidas visitas íntimas no centro. “A unidade é uma das mais antigas e mais seguras no Estado. Não foi preciso nenhuma intervenção, algemas ou algo do tipo. Tudo foi resolvido no diálogo”, finalizou o presidente.

Revista durante a semana teria provocado o motim
O presidente do ISE, Rafael Almeida, confirmou que durante uma semana ocorreu uma revista minuciosa na unidade e que foram encontrados e retirados da unidade 12 estoques feitos com madeira e ferro, drogas e isqueiros.

error: Conteúdo protegido!!!