Pular para o conteúdo

Festival leva música ao Hospital das Crianças e Apae

 A 5ª edição do Festival Música na Estrada levou música e arte às crianças da Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais (Apae) e do Hospital das Crianças em Rio Branco, nos dias 6 e 7 de outubro respectivamente. A abertura oficial do evento é hoje, 8, às 20h, no Teatro Plácido de Castro, com a apresentação da Camerata Sinfônica do Pará. As apresentações continuam com os espetáculos: Corpo de Dança do Amazonas, André Dantas Trio, M.A.P.O. Big Band, nos dias 9, 10,11 de outubro respectivamente. Todos os shows começam às 20h e a entrada é gratuita.

O diretor da Kommitment Produções Artísticas, empresa organizadora do Festival, Fernando Ramos, explica que as apresentações levadas às crianças no Hospital e Associação foram realizadas por alguns membros da Orquestra Sinfônica do Theatro da Paz.



“A apresentação de ontem (terça-feira, 6) na Apae, terminou em um verdadeiro carnaval, com os excepcionais dançando atrás dos trombones e trompetes. A experiência foi maravilhosa! Um deles, inclusive, ficou regendo a orquestra e no final da apresentação veio agradecer. Foi emocionante”, contou Ramos.

O diretor destaca que um dos objetivos do projeto é desmistificar a polêmica do que é a música clássica, além de levar música e arte até as pessoas que não podem ir até onde os espetáculos serão apresentados. “Se não podemos viabilizar a vinda dos integrantes da Apae, nós vamos até eles. É um processo de inclusão e transmissão de conhecimento. De repente estavam todos eufóricos, alegres, sentindo uma renovação das energias internas”, descreveu o primeiro dia de apresentação na Associação.

Amor pela música

De família humilde, estudante de música desde os sete anos de idade, Alexandre Negrão, 2º Chefe da Orquestra Sinfônica do Theatro da Paz é um amante declarado da música. Pela primeira vez no Acre, Negrão se apresentará junto a Camerata Sinfônica do Pará, hoje, 8, no Teatrão, às 20h.

Para ele a oportunidade de poder trazer esse tipo de Festival para a região Norte do país é uma conquista, além de unir os músicos dessa região. Durante entrevista exclusiva ao jornal A GAZETA, Negrão destacou o músico acreano André Dantas como um “músico completo”.

Natural de Belém do Pará, Negrão foi descoberto em um projeto social, aos 10 anos de idade ele escolheu viver para a música. Hoje, com apenas 18 anos, Negrão é spalla da Orquestra, depois do maestro ele é o segundo chefe dos músicos. “Acho que a educação musical poderia ser a segunda língua universal, para mim deveria ser obrigatório. Em qualquer lugar que você vá, você pode se expressar através da música”, declarou.

Para Negrão, os brasileiros deveriam criar essa consciência musical porque “a música desenvolve no ser humano uma sensibilidade que nenhuma outra área desenvolve, é fascinante.”

Com relação à experiência com os alunos da Apae, o spalla fala que foi uma apresentação totalmente diferente e especial. “Eu senti muita alegria, além de sentir uma satisfação de poder suprir o brilho nos olhos daquelas crianças, uma satisfação de poder levar alegria a alguém. Muitas vezes dentro do teatro, muitas vezes, não conseguimos ver o olho das pessoas, não conseguimos sentir. Lá eu estava vendo o olhar das pessoas, foi fantástico ver aquelas pessoas rindo, brincando”, concluiu emocionado Negrão.

O projeto

A ideia da Kommitment Produções Artísticas é promover conexão das artes entre os seis estados da Amazônia e, viajar para levar integração cultural à região norte do país. A expectativa de público da organização é de aproximadamente 12 mil pessoas. O projeto que nasceu em 2011, levará ainda, os espetáculos para Manaus, Boa Vista, Macapá, Belém e Porto Velho.

De acordo com Ramos, o ‘Música na Estrada’ é o maior projeto de arte e música na Amazônia e que, após quatro edições destinadas a musica de concerto e oficinas instrumentais, o Festival amplia sua proposta artística abrindo espaço para a música instrumental e artes cênicas. Além disso, o projeto realiza as tradicionais oficinas de aprimoramento musical.

“Através desse intercâmbio a região pode crescer culturalmente, e a longo prazo podemos criar um novo mercado que contemple conteúdos de todas as regiões do Brasil e até de outros países. Objetivamos sensibilizar a iniciativa privada, os governos municipais e estaduais a investirem no projeto. A região tem um grande potencial”, explicou o diretor da Kommitment, Fernando Ramos.

Oficinas Musicais

Em Rio Branco, as oficinas oferecidas pelo projeto serão de violino, violoncelo/contrabaixo, flauta, clarinete, trompete e trombone, do dia 06 a 09 de outubro, das 9h às 12h, na Escola de Música do Acre (EMAC). O diretor da Kmmitment Produções Artísticas, empresa organizadora do Festival, Fernando Ramos, explica que as pessoas que não conseguiram efetuar a inscrição para as oficinas musicais ainda podem participar. Cerca de 30 pessoas já estão participando das oficinas musicais.

“Isso não impende ninguém de participar. As pessoas podem chegar, podem participar de forma ativa ou como ouvintes. Podem simplesmente estar presentes e observar os trabalhos. Não existe um limite para que as coisas aconteçam, o projeto é completamente aberto”, convidou ramos.

Música na estrada - OL (10) Música na estrada - OL (7) Música na estrada - OL (6)

Fotos: ODAIR LEAL/ A GAZETA
Fotos: ODAIR LEAL/ A GAZETA
error: Conteúdo protegido!!!