Pular para o conteúdo

Polícia Federal deflagra operação Milionários e prende 14 colombianos

A Polícia Federal, com o apoio da Interpol, deflagrou no Acre nesta terça-feira, dia 6, a Operação ‘Milionários’. A investigação teve como objetivo desarticular uma organização criminosa, formada em sua maioria por cidadãos colombianos, que atuava no Estado praticando usura pecuniária, crime popularmente conhecido como agiotagem.

Foram cumpridos 16 mandados de prisão temporária e 12 mandados de Busca e Apreensão, contando com apoio de 60 policiais federais do Acre e Rondônia. Dos 16 mandados, 14 colombianos foram presos, além de dois acreanos, suspeitos de envolvimento no esquema. Nomes não foram revelados.



Todos os acusados devem responder a processo de organização criminosa (com penas que vão até 8 anos) e de agiotagem (pena de 6 meses a 2 anos).

A operação foi deflagrada na data de hoje em razão da vinda de um dos chefes de atuação internacional da organização criminosa à Rio Branco/AC, após passar pelo México e Peru, para fazer a ‘auditoria’ das contas apresentadas e que ficaria no Brasil até o dia 07/10/2015.

A investigação começou após um colombiano ser chamado para fazer parte do esquema aqui, mas ter se recusado quando viu que se tratava de algo ilícito. Diante da recusa, este colombiano teria sido espancado. Por isso, ele foi até a Polícia Federal e denunciou o esquema, em julho deste ano.

Os empréstimos variavam em torno de R$ 5 mil a R$ 6 mil. Geralmente eram feitos a pequenos comerciantes, que haviam acabado de abrir negócios e precisavam de dinheiro rápido. A taxa de juros era de 1% por dia.

O nome ‘Milionários’ é uma menção ao time de futebol da Colômbia que durante parte de sua história movimentou recursos de fonte ilícita para aquisição jogadores; refere-se, ainda, ao estilo de vida dos envolvidos que moravam em condomínios de luxo na cidade de Rio Branco/AC e movimentaram grandes quantias de dinheiro.

error: Conteúdo protegido!!!