Apelo ao bom senso

Que esses dias da Semana Santa sirvam de repouso, mas, sobretudo de reflexão para alguns segmentos da sociedade brasileira que estão radicalizando suas posições ideológicas ou políticas e, em algumas situações, já demonstraram que estão perdendo inclusive o bom senso.

Como alertou, há poucos dias, o escritor Luís Fernando Veríssimo, do jeito que esses segmentos estão se comportando só falta mesmo “aparecer o primeiro cadáver” e quando isso ocorrer, talvez, seja tarde demais.

Nada contra o debate democrático, o confronto de ideias ou posições políticas. Contudo, vale sempre lembrar que há limites. O primeiro deles é o respeito às leis, à ordem institucional e à democracia. Além disso, é o arbítrio, a força e a barbárie, como se viu nesses dias na Bélgica.

Vale também lembrar que a radicalização de posições não resolverão os graves problemas que estão se acumulando com a crise econômica e política. Ontem mesmo, o IBGE divulgou novos dados, apontando que cresceu o número de desempregados.

Isso é grave, muito grave para um país que até há poucos anos viveu um período de quase pleno emprego.

Assuntos desta notícia