DA REDAÇÃO 12/04/16

“Caiu a máscara do conspirador”.
(Presidente Dilma, ao saber do vazamento do discurso de Temer antecipando seu impeachment).

Encontro positivo
O encontro realizado pelo prefeito Marcus Alexandre com os dirigentes partidários e pré-candidatos no sábado foi o pontapé inicial da campanha. Começou a construir o novo plano do governo.

Tem crédito
Marcus Alexandre tem crédito junto à população. Executou com clareza e honestidade o plano da campanha eleitoral anterior.

Resposta simples
Perguntado a uma professora acreana o por quê do ex-presidente Lula ainda liderar pesquisas para 2018, foi enfática: “O seu governo foi muito bom, um dos melhores da história do Brasil”.

Será engolida
A ex-ministra de Lula, Marina Silva, que juntamente com ele lidera pesquisas de opinião para 2018, será triturada pelo PMDB, DEM e PSDB. Os inimigos continuam os mesmos.

Sem saída
O deputado federal Alan Rick (PRB) não tinha outra saída a não ser atender o pedido dos líderes pastor Agostinho, Dayse Costa, Daniel Bastistela e Luis Gonzaga para votar a favor do impeachment da presidente Dilma Rousseff.

Base de apoio
Alan Rick habilmente ocupou o espaço político deixado pelo ex-deputado federal Henrique Afonso que fazia pregações  apocalípticas contra o PT nas igrejas.

Continuam fiéis
Em relação ao governador Tião Viana e ao prefeito Marcus Alexandre, os líderes evangélicos continuam aliados fiéis. O problema é em Brasília. Compreensível.

Pagando caro
Segmentos petistas – que são minoria, mas fazem muito barulho -, a favor do aborto, do casamento de pessoas do mesmo sexo, da identidade de gênero -, colocaram evangélicos e católicos conservadores contra o partido.

Foi a resposta
A composição do atual Congresso Nacional com características “facistas e golpistas” como dizem petistas, foi a resposta as políticas de uma so-ciedade aberta.

Ajudou muito
A Rede Globo, hoje no centro do furacão, colaborou também para a construção de uma sociedade aberta. Suas novelas projetaram o pensamento de correntes do PT, mas espertamente mudou de postura para “conservadora”.

Entre aspas
A mudança de governo em Brasília não deixa de influen-ciar as eleições em todo o Brasil. Porém, eleições municipais são provincianas. Por exemplo: o eleitor sabe separar Marcus Alexandre da Dilma.

Aposta errado
Se o PMDB aposta que uma eventual queda de Dilma Rousseff vai eleger a deputada Eliane Sinhansique prefeita está redondamente enganado.

Vai no embalo
Pesquisa Data Folha revelou que a maioria dos brasileiros também querem o impeachment do vice Michel Temer.  Segundo a Folha, os tucanos despencaram.

Reina a hipocrisia
Em Brasília reina a hipocrisia. Deputados federais atolados em corrupção querem cassar uma presidente da República que não cometeu crime de responsabilidade.

A motivação
A motivação para a cassação da presidente Dilma Rousseff é cristalino. A economia está muito ruim para pobres e ricos, com exceção dos bancos, e a popularidade dela é muito ruim.

Acabou a dúvida
Para os que ainda duvidavam que o vice-presidente Michel Temer (PMDB) conspira contra a presidente Dilma, o vazamento do seu discurso de posse no lugar dela, sepultou os incrédulos.

Temer, o golpista
O vazamento do discurso de Temer caiu como uma bomba em Brasília. Revelou o acordo Temer-Eduardo Cunha para barrar a Operação Lava Jato.

O que houve?
O juiz Sérgio Moro e a força tarefa de procuradores do Paraná desapareceram da mídia. Depois que a lista de partidos e políticos que receberam “doações” da Odebrecht apareceu tudo parece ter mudado.

Meio de vida
Ao ver tantos candidatos a prefeito brigando por prefeituras quebradas, taxista saiu-se com essa: “A política continua sendo um meio de enriquecimento ilícito, poucos os que escapam”.

Projeto do Cabide

O ex-vereador Waldir Cabide (PTC) já tem seu plano de governo se for eleito novamente. Vereadores e deputados vão ganhar apenas um salário mínimo.

Assuntos desta notícia