Política local 08/04/2016

“Eu sou inocente, nunca tive contas fora do Brasil nem recebi propinas de construtoras”.
(Deputado Eduardo Cunha (PMDB)

Pela ordem
O prefeito Marcus Alexandre (PT) ouviu individualmente todos os partidos que compõem a Frente Popular. Nunca deixou de agendar encontros com suas lideranças para qualquer discussão, inclusive sobre o futuro vice da chapa.

Mais uma rodada
Sábado, pela manhã, Marcus Alexandre começa novamente uma série de reuniões com os dirigentes da FPA. O encontro será no auditório da Secretaria de Educação. Na pauta, a construção do vice.

Tinha que ser
“Não poderia iniciar conversações sem que os partidos  da FPA tivessem encerrado suas filiações”, reafirmou Marcus a Coluna da Redação. Agora, vai!

Chegou chegando
O vereador Raimundo Vaz, pré-candidato a prefeito pelo PR, como se diz na taba “chegou chegando”.  Já deu estocadas no PMDB e na sua concorrente Eliane Sinhasique.

As estocadas
Segundo Vaz, sem levar para o plano pessoal, o PMDB de Eduardo Cunha é o mesmo de Eliane Sinhasique. Tudo é uma questão de modelo.

Bala trocada
Presente à conversa, o ex-deputado Mazinho Serafim, pré-candidato a prefeito em Sena Madureira, defendeu Sinhasique e lembrou a Raimundo Vaz que Wlademar Costa Neto, preso do Mensalão, é do PR. Bala trocada não dói.

Fechou acordo
O deputado Gehlen Diniz (PP) declarou apoio a candidatura de Mazinho Serafim em Sena Madureira. O PP indica o vice, porém está disposto a abrir mão do espaço para unir as oposições contra a FPA.

O pivô
O senador Sérgio Petecão (PSD) está sendo acusado pelos partidos de oposição de ser o pivô da discórdia da falta de unidade.

Em causa própria
Dentro do PMDB chegou-se à conclusão de que a fórmula para construção da unidade é muito simples. Eliane retira a candidatura e apoia Bocalom para prefeito e Marfisa Petecão de vice. É mole, ou quer mais?

Não se agrada a
dois senhores
Mais do que ninguém o deputado federal Alan Rick (PRB) sabe que não pode agradar a dois senhores. Declarou ser a favor do impeachment da presidente Dilma, mas no Acre apoia o PT.

Seguiu o exemplo
A bem da verdade, Alan Rick seguiu o exemplo dos líderes evangélicos do Acre que ele diz serem seus conselheiros: no plano nacional são contra o PT, mas no local não.

Apoio verticalizado
O gargalo é que o governo do PT, que tem ofertado generosos cargos aos líderes evangélicos e seus representantes na Assembleia, querem o apoio verticalizado.

Os conselheiros
De acordo com Alan, sua decisão de ser favorável ao impeachment da presidente Dilma partiu da orientação dos pastores Agostinho, Daniel Bastistela, apóstola Dayse Costa e Luís Gonzaga.

De jeito nenhum
Questionado se em um eventual segundo turno apoia-ria qualquer candidato da oposição contra Marcus Alexandre, o vereador Raimundo Vaz foi curto e grosso: “de jeito nenhum”.

Ficou vermelho
Consta que o senador Gladson Cameli (PP) ficou vermelho de raiva ao tomar conhecimento das manobras do ex-prefeito Aldemir Lopes (PMDB) para esvaziar a candidatura de Joelson Pontes.

Número furado
Já está mais do que esclarecido de que não são onze mil servidores irregulares no Acre. A bem da verdade, pouco mais de dois mil.

Vai concorrer
É competitiva a candidatura a prefeito de Xapuri do empresário Aílson Mendonça, filho do deputado Antônio Pedro. Se o DEM fechar aliança com o PMDB o caldo engrossa para Bira Vasconcelos.

Continua vazio
Deputados da oposição e do governo continuam batendo de frente na Assembleia por conta do pedido de impeachment da presidente Dilma Rousseff. Nenhum deles tem voto em Brasília.

Nada definido
Sobre nome do futuro vice da FPA em Rio Branco, o presidente do PT, professor Ermicio Sena, garantiu que não há nada definido.

Não aparece
O mundo se acabando e o ex-governador Binho Marques (PT) não fala nada, não diz nada. Silêncio total. Não demora a ir para a Rede.

Está focado
O governador Tião Viana acompanha toda crise nacional, mas não perde o foco no trabalho. Continua captando recursos para desenvolver o Estado.

Assuntos desta notícia