Sempre haverá esperança

Oportuno e elogiável o lançamento pelo Governo do Estado desse edital de R$ 2,2 milhões de incentivo à Cultura, em suas diversas expressões como o teatro, a música, a dança, artes visuais e outras.

Em tempo em que as redes sociais vão cada vez mais ganhando espaço, com todas as suas boas propriedades, sobretudo, a instantaneidade e democratização das informações, mas também seus graves defeitos, como a superficialidade e a intolerância, é preciso, mais do que nunca incentivar as formas tradicionais de Cultura para preservar valores que não perdem nunca sua relevância e atualidade.

Nesses dias mesmo em que o país atravessa uma conjuntura de conspiração contra a democracia, os primeiros a se manifestar e até mesmo a sair às ruas para protestar contra o retrocesso foram pensadores, escritores e artistas das mais diferentes categorias, além dos movimentos sociais.

Foi assim no passado e ainda sempre será, porque enquanto houver segmentos da sociedade fazendo teatro, pesquisando e escrevendo livros, resgatando a cultura erudita e popular em suas diferentes formas, sempre haverá esperança de um mundo melhor, de uma sociedade mais tolerante, mais democrática. Quando isso cessar, será o radicalismo, a intolerância e até mesmo a selvageria.

Assuntos desta notícia