Caso Marina Oliveira: Condutor do veículo que provocou o acidente pode ser indiciado por homicídio culposo

 O delegado Odilon Neto, da Delegacia da 4ª Regional, instaurou um inquérito que vai apurar o que de fato ocorreu no acidente de carro que resultou na morte da estudante de jornalismo e estagiária da Rede Amazônica Acre, Marina Lima, 23. As imagens do momento do acidente mostram que o motorista Wilki Ferreira de Melo, realiza a ultrapassagem de um ônibus pela direita, bate do meio fio, perde o controle e atinge em cheio o carro da estudante.

O delegado informou que estão sendo colhidas provas e depoimentos sobre o caso. Além disso, as imagens divulgadas um dia após o acidente também devem ser anexadas ao processo de investigação. O motorista pode ser indiciado por homicídio culposo, quando não há intenção de matar.

O investigador explicou que todos os passos do inquérito devem ficar prontos em 30 dias. O condutor e a mulher, que também estava no carro no dia do acidente, Mikaely Marques da Silva, continuam internados no Hospital de Urgência e Emergência em Rio Branco.

“Ele será o último a ser ouvido”, explicou o delegado. Entre outras testemunhas que contribuirão com o inquérito está o motorista do ônibus, que aparece sendo ultrapassado. “Inicialmente ele será ouvido como testemunha, mas que, caso algo comprove alguma atitude dele que tenha interferido no acidente, ele deve responder criminalmente pelo fato.

O acidente aconteceu nas proximidades do Horto Florestal, na Avenida Antônio da Rocha Viana, em Rio Branco. Marina Oliveira estava indo para o trabalho

“Estamos aguardando o laudo pericial, que vai angariar o procedimento, que vai mostrar a velocidade que o condutor estava e outros detalhes. Vamos colher todas as provas para que tenhamos, no final, um interrogatório mais proveitoso”, concluiu o delegado.

marina_2 - ARQUIVO PESSOAL

Assuntos desta notícia