Transferência de presos do Acre aguarda decisão do Poder Judiciário

A Operação Fim da Linha realizada pela Polícia Civil e Ministério Público do Acre (MP/AC) culminou com a prisão de 160 pessoas, na semana passada. Apreendeu armas de fogo, aparelhos celulares, drogas, cadernetas de anotação e dinheiro. O cronograma da operação inclui a transferência de presos do Acre para outros estados do país, mas, para isso, a medida precisa de uma autorização do Tribunal de Justiça.

A assessoria de imprensa da Polícia Civil confirma que o pedido de transferência já foi realizado, mas até o fechamento desta edição, o TJ/AC não se pronunciou sobre o processo.

Um dos objetivos da operação era desarticular a facção conhecida como ‘Bonde dos 13’. Durante a operação, veículos que eram utilizados pela facção criminosa, documentos e anotações referentes à organização e identificação de seus integrantes, assim como, cerca de R$ 300 mil em aplicações financeiras, foram bloqueados.

A coordenadora do Gaeco, promotora Marcela Ozório, explica que esta é apenas a primeira fase de uma investigação que vai ter continuidade na busca da punição de outros integrantes e não descarta que novas prisões podem ocorrer.

A operação ocorreu simultaneamente em sete cidades do Estado. Ao menos 300 policiais foram acionados para o cumprimento de mais de 200 mandados judiciais, destes, cerca de 165 eram referentes à prisão.

Na ocasião também, houve o bloqueio de R$ 300 mil em aplicações financeiras. Até chegar a esses valores, foram identificados depósitos em contas de pessoas que estavam presas que participam da facção.

O ‘Bonde dos 13’ é uma organização criminosa regional, existente no Estado do Acre desde o ano de 2013. A facção é a principal responsável pelos ataques que assustou e modificou a rotina dos acreanos em outubro do ano passado.

Assuntos desta notícia