Gazetinhas 03/02/2017

*E o dia começa cheio, movimentado, lá na terra da farinha.

*Nada mais, nada menos do que a visita do ministro da Integração Nacional, Helder Barbalho, que virá ao Estado para acompanhar a situação dos municípios afetados pelas enchentes dos rios Tarauacá e Juruá.

*Mal a alagação começou e já tem ministro sobrevoando por aqui…

*Estamos com prestígio mesmo, hein, deputado Alan Rick?!

*Agora, vamos ver se os resultados práticos também serão mais ágeis do que os de visitas (e governos) anteriores.

*A liberação dos recursos para a assistência emergencial…

*O desenrolar daqueles entraves burocráticos que conhecemos muito bem.

*Governador Tião Viana também partiu para o Vale do Juruá para acompanhar a agenda do ministro.

*Na tarde da última quarta-feira, já havia recebido o prefeito Ilderlei Cordeiro e a prefeita Marilete Vittorino…

*E colocou à disposição o máximo de recursos do Corpo de Bombeiros e da Defesa Civil estadual para apoiar os municípios.

*É a hora em que as divergências políticas são deixadas de lado e valoriza-se o que, de fato, é importante:

*A segurança e o bem estar da população.

*Como tem que ser.

*Enquanto isso, na política local…

*Em apenas dois dias de trabalho, a Câmara de Vereadores de Rio Branco segue com mais agitação do que nos quatro anos da última legislatura.

*E um dos “baderneiros” é o vereador Roberto Duarte, que entrou no plenário virado no Jiraiya e propôs a criação de uma Comissão Especial de Inquérito (CEI) para investigar supostas irregularidades nos contratos das empresas de transporte público.

*Para a CEI ser aprovada, o vereador precisará da assinatura de mais cinco vereadores a favor do requerimento.

*Ele diz que consegue.

*E que, inclusive, a sexta assinatura pode ser fechada “a qualquer momento”.

*Vai com calma, jovem.

*Boas notícias, na medida do possível, para os 380 servidores estaduais que tiveram o pedido de demissão recomendado pelo MPE.

*Representantes dos sindicatos propuseram a assinatura de um TAC ao governador Tião Viana e ao promotor responsável pelo caso, Vinícius Evangelista, para obter um prazo maior para as demissões.

*Sugestão que foi acolhida pelo governador;

*E que também deve ser aceita pelo MPE, tendo em vista o impacto que as perdas causarão as quase 400 famílias envolvidas no problema e aos serviços públicos, principalmente na Saúde.

*Mas gente…

*A pergunta que não quer calar:

*Por que os servidores em questão não foram avisados com antecedência sobre as exonerações iminentes?

*Estranho. Muito estranho.

*A conferir no que vai dar.

Assuntos desta notícia