Política Local 05/03/2017

“O coração do homem é desesperadamente corrupto, quem o conhecerá”.

(profeta Jeremias na Torá Hebraica)

A hora da verdade
Durante o impeachment da presidenta Dilma Rousseff (PT) foi perguntado aos senadores e deputados federais do Acre de oposição se eles dariam apoio integral ao governo do presidente Michel Temer (PMDB) para efetuar as reformas necessárias, principalmente a da previdência. Pois é, chegou a hora.

Mudou de posição
Vejam como funciona a política. O senador Jorge Viana (PT) e os deputados federais Leo de Brito (PT), Cesar Messias (PSB), Moisés Diniz (PC do B) e Raimundo Angelim (PT) estão na oposição ao governo federal que quer ferrar os trabalhadores com a reforma da previdência.

A volta do cipó de aroeira
Velho ditado no Acre diz que o cipó de aroeira faz uma reborda e acerta no espinhaço de quem desferiu a chicotada. É o caso.

As mais variadas
Com o crescente número de pretensos candidatos ao Senado, também cresceu o número de simulações na oposição e na FPA. Em todas elas, o senador Jorge Viana se sai bem para sua reeleição.

Carimba no Jorge
Taxista no Centro da cidade dizia ontem que, “esse negócio de partido está se acabando. Eu, por exemplo, não suporto o PT mas votei no Marcus Alexandre e vou votar na reeleição do Jorge Viana”.

Com esse lema
Foi com esse pensamento de que todos os partidos estão atolados na lama da Lava Jato que o eleitor da oposição votou no Marcus Alexandre na eleição passada. É o que apontou pesquisa qualitativa.

Em qualquer situação
O prefeito Marcus Alexandre será importante na eleição de 2018 em qualquer situação. Se não for candidato, mas o nome que ele apoiar será bem votado na capital.

Transfere votos
Poucos são os políticos que transferem votos é bem verdade. Jorge Viana, Tião Viana, Vagner Sales, Flaviano Melo e Marcus Alexandre estão entre eles. A história já provou isso.

Não há preocupação
Fonte palaciana disse a Coluna que não há pressa do governo e do PT em definir nome de candidato a governador para 2018. “Essa função é da imprensa”.

Nunca houve
Com exceção do defensor público aposentado e militante político, Waldir Perazzo – integralista de carteirinha -, é voz corrente na oposição de que o senador Gladson Cameli deva ser candidato único das oposição ao governo. Perazzo sugere a entrada de Bocalom na disputa.

Dobradinha histórica
Infla no PMDB o nome do deputado federal Flaviano Melo para disputar o Senado em uma dobradinha inteligente com o senador Jorge Viana. Algo errado? Não, é da política. No frigir dos ovos são os dois melhores nomes.

Um bom currículo
Flaviano Melo foi prefeito duas vezes, governador, senador e deputado federal por vários mandatos. Jorge Viana foi prefeito, governador duas vezes e senador. Algo a acrescentar.

Uma questão filosófica
Para o bom amigo ex-deputado federal constituinte, Osmir Lima, as cláusulas pétreas da Constituição Federal não imutáveis. Afinal de contas são “pétreas”. O STF está mudando tudo.

Ajuda significativa
Na visita que fez a Brasiléia durante a semana o governador Tião Viana (PT) garantiu a recuperação de uma usina de asfalto em Brasiléia. Está orçada em cerca de dois milhões e vai beneficiar, além de Brasiléia, Assis Brasil e Xapuri. Os prefeitos Tião Flores (PSB), Bira Vasconcelos e Fernanda ficaram animados.

Bons resultados
O funcionamento dessa usina de asfalto no Vale do Acre é o que de melhor poderia acontecer para a população. Aliás, era uma antiga reivindicação da deputada Leila Galvão, líder do PT na Assembleia, agora atendida por Tião Viana.

Pedro Longo
O diretor do Detran, juiz aposentado Pedro Longo, será candidato a deputado estadual pelo PHS. É um excelente nome, muito qualificado. Porém, tem um longo caminho a percorrer passando pelas urnas.

O sonho do PMDB
O PMDB tem um sonho para 2018. O deputado federal Flaviano Melo disputar o Senado e o presidente do TCE, Walmir Ribeiro, ser o candidato a vice em uma dobradinha com Gladson Cameli.

Um bom nome
Walmir Ribeiro é advogado e foi deputado estadual por duas vezes antes de ser indicado pelo então governador Flaviano Melo para o TCE. Transita bem em qualquer luar. Não se tem notícia de um deslize seu em qualquer área. Trilha na senda do equilíbrio político e da moderação.

Cuidado com as zebras
O jogo político a ser realizado em 2018 será refinado, profissional. Os amadores podem se preparar para derrotas. Porém, vale lembrar que as zebras aparecem sempre no futebol e na política. Nunca em concursos públicos.

É muito cedo
É muito cedo para alguns vereadores de oposição cobrarem dos prefeitos que se elegeram pela primeira vez agora. Há uma regra política não positivada de que os primeiros cem dias devem ser respeitados. Depois é só pau.

Aliados fundamentais
Para o bom desempenho dos mandatos alguns vereadores já sabem que podem contar com o Ministério Público e Tribunal de contas para fiscalizar os prefeitos. Esse é o melhor caminho. Sai da opinião política para denunciar fatos concretos quando eles existirem.

Assuntos desta notícia