Política Local 18/03/2017

“O Brasil está sendo entregue para o capital internacional pelo governo do presidente Temer”.

(Senadora Gleisi Hoffmann (PT/PR)

Tem coração
A Justiça, representada pela deusa Têmis, espada e balança nas mãos, simbolizando força e equidade em defesa dos oprimidos também tem coração. Mandou soltar a mulher do governador Sérgio Cabral, Adriana Ancelmo, para cuidar dos filhos em prisão domiciliar. Só não acontece no Francisco Oliveira Conde.

O que vem pela frente
No posicionamento dos deputados de oposição na Assembleia Legislativa deu pra sentir que a lista do procurador Rodrigo Janot é mais ampla. Não dá para apontar o dedo para Tião e Jorge Viana, que reagiram com muita indignação à inclusão de seus nomes.

A luta continua
O professor Marcos Afonso classificou como uma “canalhice sem tamanho” a inclusão dos nomes de Jorge e Tião nas delações da Odebrecht. “Vamos continuar lutando como sempre fizemos para provar a inocência deles”, diz.

Sobre o caixa 2
O caixa dois não era crime até o ano passado. Era irregular, uma espécie de contravenção penal. Porém, com a criminalização, muita gente boa da política se viu envolvida no bojo da corrupção das velhas raposas políticas que enricaram a custa de doações.

Duas linhas
O caixa dois das campanhas eleitorais pode ser dividido em dois. Alguns políticos utilizaram para suas campanhas através dos amigos empresários; outros se locupletaram com esquemas de corrupção.

Tem razão
Quando aborda com muita cautela o caixa dois, o presidente do TSE, ministro Gilmar Mendes, tem razão quando afirma que “há casos e casos”.

A hora e a vez
Quando Aécio Neves, Eduardo Cunha, Michel Temer e seus aliados, Serra, Agripino Maia, Aloísio Nunes, Romero Jucá, Gilberto Cassab apoiavam o impeachment da presidente Dilma chamando-a de corrupta estavam cavando a própria sepultura.

Não dá um pio
Até agora os senadores Sérgio Petecão (PSD) e Gladson Cameli (PP) não deram um pio sobre a menção dos nomes de Tião e Jorge Viana. Há quem diga que já preparam suas defesas.

Vai ser grande
Político experiente comentava que, na hora em que a oposição confirmar que Marcus Alexandre não é mesmo candidato a governo em 2018, todo mundo vai querer se lançar achando que ganha do PT.

Tem votos
Segundo ele, Tião Bocalom hoje é o político com maior densidade e capilaridade política no campo oposicionista. Disputaria em pé de igualdade com Gladson e Marcio Bittar no primeiro turno.

Já é consenso
A candidatura nata à reeleição do senador Sérgio Petecão (PSD) já é consenso nos partidos de oposição. A segunda vaga é que está em disputa.

Vai dar o bote
O PMDB, que aposta no nome do deputado federal Flaviano Melo para o Senado se fechou em copas. Nem o Pádua Bruzugu fala nada mais nada. Silêncio sepulcral.

Palavra do Friale
Segundo o metereologista David Friale, a primeira frente fria chegaria ao Acre na sexta feira (ontem). Chegou! Só falta agora ele prevê o fim do mundo como fez Nostradamus.

Nunca deu certo
A oposição conta com o ovo no c* da galinha acreditando piamente que já ganhou a eleição para governador e elegeu as duas vagas para o Senado.

O santo é de barro
Mal terminou o carnaval em Brasileia, alguns foliões mais afoitos já procuraram a prefeitura para discutir o carnaval fora de época, o chamado “Carnavale”, que acontece no mês de julho. Coisa do satanás!!!

Não tem o direito
Os prefeitos Zum (Assis Brasil), Tião Flores (Epitaciolândia) e Bira (Xapuri) não têm o direito de errar. Já foram prefeitos em anos passados.

Previsões furadas
Qualquer prognóstico sobre as eleições de 2018 é furado. Até lá, a Lava Jato pode fazer um estrago muito grande, inclusive na seara da oposição, que anda de salto alto achando que já ganhou.

Covil de ladrões
Depois de ser citada na lista do procurador da República, Rodrigo Janot, a ex-presidente Dilma chutou o pau da barraca: “O Brasil está sendo governador por um grupo de ladrões”, sapecou.

PP e PMDB
A Operação da Polícia Federal denominada “Carne Fraca” desencadeada ontem atingiu em cheio o governo Temer. O esquema abastecia de propinas o PMDB e o PP. “Carne Podre” seria o nome mais apropriado.

Assuntos desta notícia