Política Local 19/03/2017

“As pessoas dividem-se entre aquelas que poupam como se vivessem para sempre e aquelas que gastam como se fossem morrer amanhã”.

(Aristóteles)

Jucá, o gênio
O senador Romero Jucá (PMDB/AP) líder do governo Michel Temer, as antes tinha sido da presidenta Dilma (PT) é conhecido pela genialidade na política. Assim como Eduardo Cunha (preso em Curitiba), conhece as regras políticas e jurídicas como poucos. É dele a ideia de se criar um fundo comum a todos os partidos para que os idiotas do andar de baixo financiem as campanhas políticas.

A caminho da reeleição
O simples aparecimento do nome do senador Jorge Viana (PT) na delação da Odebrecht não compromete sua reeleição. Nesse universo da política se cria inimigos poderosos que usam instituições para vinganças pessoais ou, simplesmente, desconstruir a imagem de quem não se gosta.

O grande temor
Não é nenhuma sandice afirmar que há um temor sim do ex-presidente Lula concorrer às eleições em 2018. Tudo está sendo feito para impedir sua participação no processo. A cada pesquisa ele sobe mais um pouco na preferência popular, apesar da rejeição também ser grande.

Não existe
O único político sem rejeição é aquele que nunca se elegeu para nada. O melhor dos melhores sempre terá alguém que não vai com a cara por mais honesto e trabalhador que seja.

Particularmente
Para a Rede Globo será um escarnio o Lula ser candidato, quiçá presidente de novo. Há uma guerra aberta travada entre a Globo e a maioria dos partidos de esquerda, principalmente o PT.

Não é normal
Com todo respeito aos partidários do deputado Jair Bolsonaro. Mas o Brasil está precisando é de paz não é de guerra civil. Suas propostas são de fácil aceitação popular como pena de morte, distribuir armas para todo mundo, receber o MST a bala.

Muita balela
Jair Bolsonaro sabe que um presidente da república pode, mas não pode tudo. O melhor exemplo para ele é o Donald Trump que tenta impedir a entrada de imigrantes e a Justiça americana impede.

Bons amigos
Depois de uns pegas, o que é muito natural na política, o governador Tião Viana e o deputado Eber Machado (PSDC) construíram uma boa amizade. Eber foi um dos poucos (se não o único) a não sair de perto da família Viana durante o velório e sepultamento do seu Wildy Viana. Na hora da dor se mede a amizade.

Família unida
No interior existe uma família de políticos que domina uns cinco partidos. O pai é de um, a mãe de outro, dois filhos homens com mais dois e as duas filhas mulheres dirigem outras duas siglas também. A política é ou não é uma esculhambação.

Na Água na Boca
Por mais que os vereadores se esforcem, a CPI dos Transportes Coletivos na Câmara de Rio Branco caminha para terminar na Água na Boca (a melhor da cidade), regada a chope e coca cola zero para os que forem evangélicos.

Não muda
A primeira frustração é que a CPI não conseguirá reduzir o preço das passagens de ônibus. A segunda é que é possível que se descubra que realmente deva ir para os R$ 4 reais, em função do custo operacional.

Tiro no pé
Por outro lado se a CPI não concluir nada e não mudar nada (o que é bem provável) no aspecto político será um tiro seguro nos pés dos vereadores. Entretanto, os vereadores de oposição, garantem que não vai acabar em pizza coisa nenhuma. O tempo vai dizer.

Novos tempos
Empresário comentava ontem que tem muita gente equivocada achando que dá para meter a mão no dinheiro público e ficar impune como no passado. Os órgãos de controle e a Justiça evoluíram.

Dona Rosa, a matriarca
A dona Rosa Machado, matriarca da família Machado, fez aniversário ontem. A festa foi comemorada em grande estilo na Associação Atlética Banco do Brasil (AABB) na capital. O sucesso dos filhos, inclusive na política como é o caso do Eber, se deve a ela. O filho mais velho, o Eleazar do Auto Posto Junior era um dos mais felizes. Todos os dias vai na casa da mão tomar a benção.

Também querem
Os servidores da Assembleia Legislativa também querem aumento salarial depois do aumento que o governador Tião Viana deu aos funcionários do Estado.

Nada estranho
Se o Cesário Braga fosse ser o presidente do diretório estadual do PMDB seria muito estranho. Não veja razão para críticas pelo fato dele ir ocupar o lugar do professor Ermício Sena. São estilos diferentes, nada mais que isso.

A melhor resposta
Enquanto alguns pessoas travam guerras nas redes sociais contra o governo, Tião Viana passou dois dias em Brasília nos Ministérios viabilizado recursos para a Segurança Pública e outras áreas da gestão.

Tábua de pirulito
O prefeito Marcus Alexandre (PT) precisa correr com a operação tapa-buracos. A cidade está começando a parecer tábua de vender pirulitos. Aliás, essa geração não sabe nem o que é isso.

Ideia de Jerico
A Justiça de Brasiléia condenou o ex-prefeito Everaldo Gomes em mais um processo por irregularidades na gestão. Quando assumiu, Gomes decretou “estado de emergência” fictício alegando que a ex-prefeita Leila deixou a prefeitura desorganizada. Com o decreto em mãos fez despesas sem licitação. A Justiça entendeu que faltou competência para gerir a prefeitura.

Não é esse
Para quem conhece a ex-prefeita e deputada Leila Galvão (PT) sabe que seu defeito não é a desorganização, muito menos a desonestidade. Leila é extremamente zelosa na gestão de recursos públicos.

Assuntos desta notícia