Briga de apenas 2 foices

O impasse entre governo e TCE gerou novos episódios ontem, quando o governo impetrou mandado de segurança contra as 3 medidas cautelares do Tribunal de Contas determinando que o Estado pare de convocar novos candidatos já aprovados em concurso, a realização de novos concursos públicos e a concessão de reajustes salariais aos servidores.

Essa é a sociedade democrática de direito. Cada entidade, no desempenhar de suas atribuições, tem que se dispor a ter um entendimento sobre determinado assunto, e se sustentar com sua posição, até que este se prove certa ou errada. O TCE fez sua parte, pegou um assunto que lhe causou estranheza e contestou. E PGE, na sua função de salvaguardar os direitos do Estado, rebateu o entendimento do Tribunal de Contas com novos argumentos.

O caso agora é da Justiça, e compete bilateralmente a governo e TCE. São as duas partes envolvidas que estão trilhando o caminho certo para resolver sua pendência. Não precisam, portanto, de críticas de sindicatos contra as medidas do governo, ou outros terceiros para jogar mais lenha nesta fogueira.

Esse é um momento de união de entidades interessadas em prol de mais concursos, reajustes e outras medidas que ajudem o trabalhador. Se não for pra ajudar, melhor ficar quieto.

Assuntos desta notícia