Coluna Política Nacional – 30.05.2018

Combustível dolarizado sustenta a ineficiência
Para produzir seus 2,7 milhões de barris/dia, a Petrobras mantém 180.258 mil funcionários, entre terceirizados e efetivos, que, vez por outra, ainda inventam greve malandra como a prevista para esta quarta (30), de 72 horas, cujo término coincide com o fim de semana. Já a americana Chevron, que não se beneficia de monopólio, tem 61 mil empregados, um terço da nossa estatal, e produz os mesmos 2,7 milhões de barris/dia.

A gente paga
Em vez de cortar despesas e modernizar a estatal, Pedro Parente dolarizou os combustíveis para sustentar a ineficiência da Petrobras.

Tira mão do meu bolso
Explorando os brasileiros, com reajustes diários, a Petrobras registrou lucro de R$7 bilhões somente entre janeiro e março deste ano.

Mal entrou
Por sua ineficiência, a Petrobras quase ficou de fora da lista da Forbes com as 25 maiores petroleiras do mundo. Está em penúltimo lugar.

Já foi pior
Em 2013, auge do aparelhamento, a Petrobras empregava mais de 360 mil pessoas e tinha quatro terceirizados para cada funcionário próprio.

Cade ajuda a liquidar cartório dos combustíveis
Produtores receberam com entusiasmo a recomendação do Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade), do Ministério da Justiça, há anos reivindicada, para revogar a resolução da Agência Nacional do Petróleo (ANP) que criou um dos “cartórios” mais desavergonhados do País. Esse “cartório”, que proíbe mais de 400 produtores a vender seu etanol diretamente aos postos, promoveu concentração, enriqueceu as distribuidoras (e “parceiros” em órgãos públicos) e empobreceu o setor.

Atravessador se dá bem
Há mais de um ano, distribuidoras pagam R$1,54 por litro de etanol e o revende aos postos até a R$3,20. E custa até R$4,10 ao consumidor.

Cartório fazendo água
O “cartório” de distribuidoras faz água: em São Paulo, a Justiça Federal autorizou usina de Araçatuba a vender seu etanol aos postos da região.

Lei enquadra a ANP
Projeto do deputado Mendonça Filho (DEM-PE) garante ao produtor o direito de vender etanol aos postos. O objetivo é derrubar os preços.

Malucos nas ruas
Aos que pedem “intervenção militar”, vale lembrar as palavras do general Eduardo Villas Bôas, comandante do Exército, em dezembro de 2016, considerando-os apenas “malucos” e “tresloucados”.

Parece até de propósito
A turma de Pedro Parente na Petrobras aumentou 40 vezes o litro do diesel tipo A, entre 8 de fevereiro e 22 de maio. Um aumento criminoso de 30,5%. E ainda se surpreendeu com a revolta dos caminhoneiros.

Saco sem fundo
A Câmara de Comercialização de Energia Elétrica (CCEE), associação privada que administra um fundo setorial público bilionário, entrou no radar dos órgãos de controle e da Aneel. Tem contratado escritórios de advocacia e auditores sem licitação para defender demandas do fundo.

Saiu caro
Condenado por unanimidade no STF, o deputado Nelson Meurer (PP-PR), desde que foi denunciado em outubro de 2015, custou ao País R$1.182.906,13 somente em ressarcimento de gastos.

Lucro fácil
Nesta terça (29), a gasolina custou às distribuidoras de combustíveis R$1,9526 o litro; aumento de 20% em relação a 8 de fevereiro. No mesmo período de 2018, a Petrobras declarou lucro de R$7 bilhões.

Explorar não pode
O Uber não pode se aproveitar da crise de desabastecimento para explorar a clientela. Em São Paulo, a viagem entre Congonhas e Alphaville, que custava R$73 virou R$155 de um dia para o outro.

Investigar é preciso
Causou estranheza não apenas ao apresentador Marcelo Torres (SBT) o descarrilamento do trem que levava 650 mil litros de diesel a Bauru (SP), 24h após reportagem mostrar que a cidade não sofria tanto com a greve dos caminhoneiros porque o abastecimentos é por trem.

Assuntos desta notícia