Coluna Política Local – 24.08.2018

Condolências

A Coluna inicia lamentando o falecimento da desembargadora Maria Cezarinete de Souza Augusto Angelim, vítima de parada cardíaca. Uma mulher de fibra que exerceu com maestria o seu dever de representante a Justiça no Acre. Que Deus conforte o coração de toda a família.

Pesquisa

A pesquisa Ibope, encomendada pela Rede Amazônica e divulgada na última quarta-feira, 22, gerou muita polêmica nos bastidores da política acreana após indicar um empate técnico entre o candidato da oposição Gladson Cameli (PP) e Marcus Alexandre (PT), com 37% das intenções de votos.

Registro

A pesquisa foi registrada no Tribunal Regional Eleitoral do Acre (TRE/AC), sob o número 08479/2018, e no Tribunal Superior Eleitoral, sob o número 00533/2018. Nem com a margem de erro, de três pontos, os candidatos teriam um placar diferente.

Banho frio

As últimas pesquisas indicavam que Cameli tinha certa vantagem em relação ao petista. Isso vinha gerando entre os apoiadores do progressista uma certeza de que a eleição já estava praticamente ganha. O resultado do Ibope foi um banho de água fria no grupo.

Defesas

Claro que cada um interpreta o resultado como bem entender. E foi exatamente isso que aconteceu na Câmara de Vereadores da Capital. Oposição tentou desacreditar o resultado e a situação, por sua vez, defendeu que o resultado reflete a realidade.

Única certeza

A única certeza que temos é que esse processo eleitoral será um dos mais difíceis dos últimos 20 anos. E pesquisa de intenção de voto é apenas um indicativo do momento. Muita água vai rolar debaixo da ponte até o dia da votação. Portanto, mais vale dedicar o tempo a conquistar voto do que “brigar” por causa do resultado dessa pesquisa.

Indo mal

O Coronel Ulysses Araújo (PSL) apareceu com apenas 8% das intenções de voto. O resultado mostra que, definitivamente, o militar não tem conseguido emplacar sua candidatura.

Errou I

Nos bastidores, comenta-se que Ulysses enterrou sua candidatura no momento em que abriu uma via de comunicação com o MDB, período em que foi ‘convidado’ a ser vice de Gladson.

Errou II

Ulysses se classificou como o NOVO, porém, quase aceitou se aliançar com lideranças da ‘velha política’. O eleitorado não perdoa.

Senado

Na disputa ao Senado, Jorge Viana (PT), candidato à reeleição, continua na dianteira. O petista parece com 43% das intenções de voto. Sérgio Petecão (PSD) vem logo atrás, com 39%. Até o momento nenhuma novidade. Ambos são cotados para retornar na próxima legislatura.

Forte

Ney Amorim (PT) continua sendo o candidato ao Senado que mais cresceu dentro desse processo eleitoral. Embora apareça apenas na quarta colocação, deve sim ser visto como uma ameaça. Ainda tem muito chão até o dia da votação. Até lá, a tendência é que ele cresça mais ainda.

Repudiou

Por falar no Ney, durante a entrevista ao programa Gazeta Entrevista, na última quarta-feira, 23, ele comentou sobre as fake news de que seria um dos apoiadores de uma facção criminosa na Baixada da Sobral.

Ele negou

Ao negar tal envolvimento, Ney frisou que tem sido vítima de preconceito por parte de seus adversários políticos. Levando em conta que a notícia se propagou uma semana após anunciar sua candidatura ao Senado, entende-se que o foco é destruir sua imagem junto ao eleitorado.

Pode ganhar

Se a intenção é realmente essa, não surtiu efeito. Repita-se: de acordo com as pesquisas de intenção de votos, Ney Amorim tem sido o candidato ao Senado que mais cresceu na disputa. As chances de ficar com uma das vagas ainda é real.

Alianças

O petista falou ainda durante a entrevista sobre as alianças firmadas com alguns grupos da oposição. Ao citar o prefeito de Sena Madureira, Mazinho Serafim (MDB), declarou que a relação com o oposicionista é antiga, respeitosa e pautada na amizade.

Ney disse

“Mazinho foi meu colega de parlamento, fomos inclusive do mesmo partido. O único pedido que ele me fez foi para que quando eu for eleito jamais esqueça de ajudar Sena Madureira. O apoio veio mesmo pela amizade. Em 12 anos de parlamento construí uma relação respeitosa com todos meus colegas”, disse Ney.

Assuntos desta notícia