Gazetinhas – 9.6.2019

*Lance suas apostas!
*Depois da cassação do deputado Josa da Farmácia (Pode) por compra de votos e abuso do poder econômico, a Corte do TRE/AC volta a se reunir amanhã.
*Eles vão julgar o processo dos deputados Manuel Marcos e doutora Juliana, ambos do PRB.
*Muita gente não vai dormir neste começo de semana…
*Os suplentes estão pavorosos para assumir uma vaga. Entre os cotados estão Heitor Júnior, André da Droga Vale, Raimundinho da Saúde e Pedro Longo.
* Caso os desembargadores cassem o mandato de Juliana e Manuel Marcos, mais deputados terão motivos para perderem o sono. Apesar que cada caso é um caso, mas…
* Quem será o próximo? Arrisquem seus palpites, caro leitor! O que não pode mais é a compra de votos em troca de mandato.
*A Justiça Eleitoral está de olho!
*Agitado o final de semana. Sexta-feira pesada com o espancamento de um jovem no Centro de Rio Branco, por militares.
*Não tem justificativa uns ‘catiripapos’. Se existe às leis, elas devem ser cumpridas, sem excessos e ponto.
*Falando em PMAC, a gloriosa está em boas mãos com o comandante, coronel Ezequiel Bino. Sem passar a mão na cabeça de ninguém, tratou de enviar os militares à Corregedoria Geral.
*Diz o ditado que santo de casa não obra milagres, mas o secretário Alysson Bestene já estava dando seus frutos. Dados do MS apontam redução nas mortes nos hospitais.
*A questão do secretário Alysson foi mais política. Para atingirem o tio José Bestene, atiraram pedras no sobrinho, que levantou da cadeira de secretário e partiu.
*Triste essa explosão no Vale do Juruá em que 15 pessoas foram vítimas com queimaduras graves. Há informação de que as vítimas serão encaminhadas para Rio Branco.
*Aleluia, irmão!
*Amanhã, a Câmara de Vereadores de Rio Branco homenageia os pastores evangélicos. O pedido é da vereadora Sandra Asfury (PSC).
*Sem pender para o lado religioso, os pastores, assim como líderes de outras religiões, também fazem um trabalho social.
*Não é só dízimo, não, viu?
*Após ter os bens indisponíveis pela Justiça, o ex-prefeito de Tarauacá, Rodrigo Damasceno, mirou sua metralhadora em direção ao deputado Fagner Calegário.
*Calegário era dono da empresa realizadora do concurso público em 2016, no Município,a CalegárioX. O concurso foi suspenso sob a suspeita de fraude.
*Em resposta ao ex-prefeito, Calegário disse: O que eu posso dizer é que a Justiça foi feita e agora ele está buscando um motivo pra se vitimizar e se autopromover”.
*Certo!
*Hoje é domingo! Bom descanso!
INTERINO: JOSÉ PINHEIRO

Assuntos desta notícia