Gazetinhas – 01/07/2019

* “Produzir para empregar.”

*O ex-prefeito de Acrelândia, Tião Bocalom (PSL), tem sido cotado para assumir a Emater.

*Bocalom é pai de todo esse ideal de investir no agronegócio, quando o tema por aqui era um tabu.

*O diferencial de Bocalom é que ele é mais roceiro, terá um olhar mais clínico para o pequeno agricultor, o que puxa a enxada.

*Pode gerar conflito a relação dele com o secretário de Produção e Agronegócio, Paulo Wadt.

*Falando nisso, Paulo Wadt tem futuro incerto na Secretaria.

*O voto por unanimidade da Aleac o convocando sinaliza a insatisfação dos deputados com o governo.

* “Pede pra sair! Pede pra sair!”, grita aqui um eufórico.

*O Louro estava certo!

*Ao assumir o governo e mudar o comando da Seaprof, que se tornou SEPA, o governo fez uma caçada às máquinas compradas no governo Tião.

*Passou-se o tempo, seis meses, para a própria indicadora, de Paulo Wadt, assumir que os produtores foram injustiçados com a retirada do maquinário.

* “Muitos deles estavam colhendo seu milho”, disse Mara em uma TV local.

*Voa Cameli, voa Cameli!

*Dizem que essa história do governador querer um jatinho para chamar de seu tem origem na família.

*Os irmãos e parentes de Gladson estariam chateados porque o patriarca da família tem cedido a aeronave da família para atender ao governador.

*Mais ou menos assim: ‘deixa o menino usar o avião, ele está trabalhando. É governador, precisa’.

*Locar uma aeronave seria a saída. Só que o custo é muito alto para um Estado pobre como o Acre arcar com mais essa despesa.

*Empresários do Acre questionando com a falta de licitação nas mais diversas áreas.

*Um deles confessou à Coluna: “hoje pensaria duas vezes em conceder meu apoio”.

*Os empresários apostaram no governo Gladson. Tinha a esperança do boom econômico, mas até agora a economia segue morna, apreensiva.

*Sem a hipocrisia de dizer que empresários não precisam do governo. O Acre é pequeno, o Estado o maior comprador.

*Fim de junho chegando e com um saldo sangrento de mortes e tiroteios nas ruas.

*Algo emergencial precisa ser feito. A violência tem alcançado níveis insuportáveis. Afeta ricos e pobres.

*Ótimo início de semana!

*Interino: JOSÉ PINHEIRO

Assuntos desta notícia