Política Local – 14/11/2019

“Coração alegre”

O ex-governador Tião Viana (PT) fez uma postagem emocionada a respeito de uma ligação que recebeu do ex-presidente Lula. Tião Viana disse que em 10 minutos de conversa Lula o convidou para ir a São Paulo e acrescentou que o ex-presidente está “totalmente firme em defesa do povo brasileiro”.

Em 2022

Tião Viana deixa claro que em 2022 há a possibilidade de Lula ser candidato à Presidência da República e reafirma a inocência do ex-presidente a respeito dos processos que respondem na Lava Jato. O ex-governador acreano pontuou, ainda, que Lula sempre é solidário ao Acre.

Calamidade

O governador Gladson Cameli (Progressistas) voltou a cogitar, dessa vez, de modo mais forte, a possibilidade de se declarar calamidade financeira no Acre. Segundo ele, as contas não fecham. Por isso, há a necessidade de tomar medidas mais radicais para tentar equilibrar as contas do Estado. A pior notícia é que ele descartou a possibilidade de se contratar novos servidores.

Contestado

Gladson foi duramente contestado na Aleac a respeito do assunto. Para os parlamentares de oposição, Cameli tenta ofuscar o debate central, que é a reforma da Previdência. Ao passo que tenta passar a ideia de que a demora para apreciar a reforma faz com que o Acre não consiga negociar suas dívidas junto às instituições financeiras.

Fake News

O deputado Daniel Zen (PT) fez um discurso ontem, 13, dizendo que se há notícias falsas em torno da reforma da Previdência, estas notícias não partem do plenário da Aleac e tampouco da Sala das Comissões. Zen disse que o quartel general das fake news é o Palácio Rio Branco e a Casa Civil.

Didático

O líder dos independentes, deputado Roberto Duarte (MDB), mostrou de forma didática que o Acre não terá ganhos imediatos com a reforma da previdência. Disse, ainda, que os ganhos podem ser quase insignificantes. Nesse sentido, ele questionou a necessidade de o governo vir a público e dizer qual o ganho real com a aprovação e, no mínimo, o Estado poderia dar sua parcela de contribuição.

Questionou-se

O discurso de Duarte foi questionado pelos profissionais da imprensa que acompanham às sessões. Observou-se um discurso mais enfático do emedebista acerca da reforma enviada por Gladson. Entretanto, é importante destacar que Duarte é a favor da reforma, mas que se mantenha o diálogo permanente com os trabalhadores. A verdade é: o fato de ser favorável não quer dizer ser conivente, contudo.

Asfury

Ontem, o ex-deputado Jamyl Asfury esteve na Aleac. Antes de ir ao plenário, passou na Sala de Imprensa e cumprimentou os jornalistas. Disse que sua esposa, a pastora Sandra Asfury, não será candidata em 2020 para vereadora. Mas, assegurou que tem outros planos. Seria ele candidato a prefeito de Rio Branco?

Novos tucanos

As tratativas dentro do PSDB para receber uma ex-liderança da Frente Popular estão avançadas. Não foi só o ex-reitor da Ufac, Minoru Kinpara, que se encantou pelos olhos verdes do vice-governador Major Rocha. Parece que mais lideranças pensam em pousar no ninho tucano. Na política é assim: procura-se árvore que tem sombra.

Normal

O presidente do PSL no Acre, Pedro Valério, disse que a saída do presidente Jair Bolsonaro da sigla está sendo acompanhada nos mínimos detalhes. Ou seja, está atento à movimentação. Apesar da aparente tranquilidade, a debandada do PSL, não só no Acre, mas em todo o país, para o Aliança pelo Brasil, partido que Bolsonaro deve fundar, será grande e inevitável.

Vida orgânica

Se olharmos a trajetória política do presidente Bolsonaro, veremos que ele não tem vida orgânica em nenhum partido. Já esteve em oito. O Aliança pelo Brasil será o nono. Na política, ter vida partidária orgânica é necessário. Um exemplo de vida orgânica é o deputado Flaviano Melo. Esteve sempre no MDB. Outro exemplo, pela esquerda, os irmãos Jorge e Tião Viana, sempre no PT.

 

 

Assuntos desta notícia