Pular para o conteúdo

Muito ainda o que fazer

De volta da Espanha, onde participou da Conferência sobre o Clima, da qual se espera tenha aprendido e se convencido sobre a importância das questões ambientais, o governador Gladson Cameli usou as redes sociais para fazer um balanço deste primeiro ano de seu Governo.

Segundo ele, um dos pontos positivos foi o aparelhamento das polícias com o aporte de mais de cem viaturas. Com efeito, é um ponto positivo. Porém, a realidade está demonstrando que a insegurança e a criminalidade ainda persistem com toda a virulência e o rastro de sangue de centenas de mortes, a maioria praticada pelas fações ou grupos criminosos que continuam atuando e, há poucos dias, chegaram a divulgar um vídeo afirmando que irão tomar conta do Estado.

Aliás, sobre essa sensação de insegurança, não é só da população. Recentemente, o senador Sérgio Petecão, aliado do Governo, afirmou que também tem medo de andar pelos bairros periféricos da Capital. E agora (pasmem!) foi a própria juíza da Vara de Execuções Penais, Luana Campos, que escancarou o problema.

Ela também afirmou que tem medo de andar por alguns bairros, como o Calafate, Cidade do Povo e outros e citou o exemplo de duas de suas secretárias, que foram a esses bairros proferir palestras e acabaram sendo assaltados. E disse mais: que grande parte da responsabilidade pelas ações das facções criminosas cabe ao Estado.

Portanto, governador, devagar com suas avaliações sobre este primeiro ano de seu governo. Há muito ainda o que fazer.