Coluna Da Redação – 19/01/2020

Quase certo

Ainda que não queira admitir que sairá candidata à Prefeitura de Rio Branco, Socorro Neri deixa transparecer seu interesse nesse projeto. Talvez não tenha feito o anúncio oficial ainda por não querer colocar a carroça na frente dos bois. Em trecho da entrevista que concedeu neste sábado,18, à Rádio GAZETA FM, ela disse: “não há nada que me impeça de sair candidata”. Para bom entendedor, isso já basta.

Muito serviço

Socorro Neri mostrou que tem trabalhado muito nas principais demandas do município. Afirmou na entrevista à Rádio GAZETA que, mesmo neste inverno, as equipes de infraestrutura e limpeza estão trabalhando duro. Aproveitam os dias sem chuvas para avançarem nos serviços.

Concurso

As preocupações das pessoas que fizeram o concurso da Educação da Prefeitura não foram esquecidas. Socorro Neri frisou que está mantida a promessa de chamar os aprovados para trabalharem no início do ano letivo, previsto para a primeira semana de março. O que, certamente, vai tranquilizar os candidatos e também os alunos.

Abandonado

O complexo habitacional Cidade do Povo está com aspecto de abandono. Pelo menos é o que denunciam os moradores. Os buracos nas ruas também não passam despercebidos. Como o projeto nunca foi concluído, a responsabilidade da manutenção segue com o Governo do Estado. A Prefeitura não é a responsável. É preciso que os gestores estaduais deem uma atenção especial para esse lugar.

Morte, morte, morte!

Eita que a coisa tá feia na pasta de Segurança Pública. Parece que o que não vinham matando no ano passado, as facções deixaram para fazer agora em janeiro. Seria irônico se não fosse trágico, e se não fosse de vidas que estivéssemos falando. Por isso, não dá para brincar. As forças de segurança precisam conter esse pique do crime organizado. Dar um basta. Caso contrário, o Acre volta a ser terra sem lei.

Mais do mesmo

Agora é curioso o quanto os discursos dos gestores da área de Segurança são tão parecidos. Vocês já repararam? Não importa se é gestão do PT ou dos Progressistas, se é sigla A ou Z, partido da Marina ou do Éneas, o disco não muda. Parece arranhado.

Só mudam as palavras

Só trocam as palavras, mas o sentido é o mesmo: houve redução em relação ao ano tal [que geralmente as pessoas só lembram que teve morte, mas não quantas], é preciso do apoio das demais instituições, o Governo Federal tem que fazer sua parte, a maioria das vítimas são membros de facções, o problema é o tráfico, fronteiras desguarnecidas, etc.

Será isso?

A impressão que passa, ao ver tais falas, é que em todos esses anos, desde 2016 pra cá, só medem o nível de segurança do Acre por esses índices de homicídios; o Judiciário e o Legislativo até colaboram, mas pouco; o Governo Federal é inalcançável, não liga muito pra nós; as fronteiras estão sempre desprotegidas e que a população do Acre é dividida entre os vivos e os “faccionados”. Só pode ser isso. É só o que falam.

Cadê o homi

Em meio a todo esse clima de assassinato brutal de sogra de secretária estadual e de homem sendo executado em frente à UPA, além das mortes quase todo dia, já está mais do que na hora de o nosso governador Gladson Cameli vir a público e dar uma resposta à população, se pronunciar. Nem que seja pra falar mais do mesmo. Ou dizer que vai parar tudo se for pra botar a saúde, ops, perdão, a “segurança” pra funcionar.

Parabéns aos investigadores

Ponto para a Polícia Civil, que conseguiu prender três suspeitos pela morte, suposto latrocínio, do casal Tereza da Silva Santos (sogra da secretária da Fazenda, Semírames Dias) e Cosmo Ribeiro Moura. A primeira a ser identificada foi uma mulher que teria envolvimento no caso. Ela teria apontado os outros dois suspeitos. Todos foram presos.

A resposta certa

A partir das prisões, a polícia deve juntar as peças que faltavam e desvendar todo o caso para concluir a elucidação do crime. É o mínimo de resposta que a sociedade espera para um assassinato tão vil e brutal como esse.

Ainda aqueles “dinos”

Vale a pena dar uma olhadela, também, na entrevista ao lado, da secretária estadual de Empreendedorismo e Turismo, Eliane Sinhasique. O assunto do pórtico dos “dinos”, é claro, não podia faltar. O assunto causou um alvoroço. Ouso até a dizer que se não tivesse havido tantas execuções e crimes tão bárbaros nos últimos dias, essa pauta dos dinossauros teria sido o mais debatido da política local dessa semana.

 

 

Assuntos desta notícia