Coluna Política Nacional – 05.01.2020

Câmara representa menos da metade dos eleitores
Os deputados federais, responsáveis por analisar e propor mudanças na legislação, representam menos da metade dos eleitores que foram às urnas em 2018. Foram 107.050.673 votos válidos, mas somados os desempenhos dos titulares são 53.220.501 votos, equivalente a 49,7%. A representação atual é ainda menor (48,8%) devido à substituição de 20 deputados por suplentes com votações menores. Presidente da Câmara há quatro anos, Rodrigo Maia (DEM-RJ) teve só 74 mil votos.

Comparativo
Os 513 deputados somados tiveram menos votos que o presidente Jair Bolsonaro, eleito com 57.797.847 votos; 55,1% no segundo turno.

Por partido
O partido mais votado foi o PSL, cujos 52 deputados eleitos obtiveram 7,6 milhões de votos. O PT ficou em segundo, com 6,1 milhões.

Os menores
Os partidos com o menor número de votos, PPL, DC e Rede, elegeram apenas um deputado, com 66.343, 50.284 e 8.491, respectivamente.

Tal pai, tal filho
Filho do presidente, Eduardo Bolsonaro foi reeleito em São Paulo com 1,8 milhão, tornando-se o deputado mais votado da História do Brasil.

Propaganda parlamentar custou R$45 milhões em 2019
Os brasileiros pagaram R$ 44,85 milhões no ano passado para que os deputados e senadores fizessem propaganda pessoal sob alcunha de “divulgação de atividade parlamentar”. É que, apesar de receber mais de R$ 33,7 mil por mês de salário, cada congressista tem até R$ 45 mil a mais todo mês para gastar à vontade com o que der na telha. Basta apresentar uma nota ou cupom fiscal para receber o dinheiro de volta.

Bolada maior
Com mais membros, a Câmara torrou R$ 42,78 milhões ou cerca de R$83,4 mil com a publicidade de cada um dos 513 deputados.

Menos esbanjadores
Com 81 senadores, o gasto no Senado com publicidade pessoal foi de R$ 2,07 milhões. Em média, foram R$ 25,6 mil por senador.

País ‘rico’ é assim
Parlamentares gastaram R$203,3 milhões com passagens, publicidade, alimentação, hospedagem etc em 2019. Tudo ressarcido integralmente.

Esfolar ocontribuinte é fácil
Em 2017, Jorge Solla (PT-BA) pediu à PGR investigação e até posição oficial sobre a criação de fundos privados para apoiar candidatos, mirando grupos privados. Meses antes ele e outros 55 deputados do PT votaram a favor da reforma que criou o fundão eleitoral bilionário.

Democracia desvirtuada
Relatada pelo petista Vicente Cândido (SP), a reforma política de 2017 que repassou para o contribuinte o custo das eleições chamava o fundão eleitoral de “Fundo Especial de Financiamento da Democracia”.

Só pensam naquilo
O ano mal começou e o “calendário de feriados 2020” já circula há duas semanas nos grupos de aplicativos de mensagens de funcionários públicos do governo e servidores do Congresso Nacional.

População envelhecida
Segundo o IBGE, a população em idade ativa (15 a 64 anos) vai cair 0,1% no Brasil em 2020, de 69,3% para 69,2%. Esse número continua a cair nos próximos 30 anos para 62,69% e vai a 59,8% até 2060.

Duas exceções
De todos os tribunais superiores, apenas o STF, com Joaquim Barbosa, e o TST, com Carlos Alberto Reis de Paula, foram presididos por ministros negros. O TSE seria presidido por Joaquim Barbosa, mas o ministro renunciou antes de assumir o comando do tribunal eleitoral.

Recorde de Guarulhos
Desde iniciada a privatização de aeroportos controlados pela Infraero, em 2012, por Dilma, o aeroporto de Guarulhos (SP) foi o que rendeu o maior valor ao governo federal: foi arrematado por R$ 16 bilhões.

Bolsa em números
Nacionalmente, o valor médio recebido por beneficiários do Bolsa Família em dezembro foi de R$ 383,54. A maior média foi no estado do Acre, R$548,23, e a menor foi em Rondônia: R$312,19.

Muito Fundo
A Sudeco manteve a cota de 10% do Fundo de Financiamento do Centro-Oeste (FCO) para o DF em 2020. Serão R$710 milhões. Goiás e Mato Grosso recebem 33%, cada, e 24% para o Mato Grosso. No total, o fundo disponibilizará R$7,1 bilhão aos quatro estados, em 2020.

Pensando bem…
…parece que tem gente torcendo por uma 3ª Guerra Mundial.

Assuntos desta notícia