Pular para o conteúdo

Um ano perdido

Depois de passar o Natal em Miami e o réveillon na Times Square, em Nova Iorque, com “muito sacrifício”, o governador Gladson Cameli deveria chegar ontem ao Estado e deve justificar o péssimo desempenho que seu Governo obteve na pesquisa amplamente divulgada pelo portal G1 da Rede Globo.

Sempre olhando pelo retrovisor, deve afirmar que esse mau resultado deve-se ao fato de que foi obrigado a consertar o que encontrou da gestão passada, o que não corresponde à realidade dos fatos.

A rigor, o que ele tem feito foi apenas pagar o 13% do funcionalismo público deixado pela gestão anterior e manter em dia o pagamento dos servidores, o que é de sua obrigação e de qualquer Governo.

No mais, sua administração não conseguiu melhorar em nada a prestação dos serviços essenciais, como os da Saúde e Segurança Pública, os quais, aliás, pioraram. Basta ir até a esquina e ouvir a população.

E parte desse mau desempenho cabe a ele próprio, que não conseguiu sequer formar uma equipe de Governo e o que se assistiu foi um troca-troca interminável de secretários e assessores e um dos motivos foi sua ausência de mais de 100 dias do Estado, viajando, com “muito sacrifício”.

Sem partidarismo ou ofensas, esta é a verdade que ele, com humildade, deveria reconhecer e corrigir enquanto é tempo, pois 2019 foi um ano praticamente perdido.