Pular para o conteúdo

ONDA DE EXECUÇÕES: Em 5 dias, quase 10 pessoas foram assassinadas no Acre

A guerra entre facções criminosas continua fazendo vítimas e assustando a população acreana. Segundo levantamento feito por A Gazeta, entre os dias 30 de dezembro e 3 de janeiro, 8 pessoas foram brutalmente assassinadas no Acre.  No dia 30, em menos de sete horas, três pessoas foram mortas em Rio Branco. Os irmãos Kellyton Costa dos Santos e Elias Costa do Santos foram executados dentro de casa, na Baixada da Sobral.
Pouco tempo depois, Ediberto Melo de Souza, de 38 anos, mais conhecido como “Marreta”, foi assassinado com 10 tiros em uma residência localizada no Loteamento São Sebastião, também na Baixada da Sobral.
Na mesma noite, um grupo de criminosos roubou um táxi no bairro Alto Alegre e saiu atirando contra pessoas na região da Sobral. Um apenado do regime semiaberto morreu após ser atingido por seis tiros. Janeilson Almeida Pereira, de 26 anos, chegou a ser socorrido, mas não resistiu aos ferimentos e morreu no local.
Na virada do ano, 31 de dezembro, uma bebedeira entre amigos acabou em morte. Após desentendimento, Francisco de Souza Bregense, de 35 anos, surtou e assassinou a facadas o amigo Wendel Rodrigues Barros. O crime ocorreu no bairro Dom Giocondo, na Rua Rui Barbosa.
Já no primeiro dia do ano, uma jovem de 17 anos foi assassinada com dois tiros e 12 facadas. Amanda Silva Barbosa foi executada na Travessa da Amizade, bairro Santa Inês. A jovem teria sido morta por membros da facção rival à dela, o Comando Vermelho.
Nesta sexta-feira, 3, duas mortes foram registradas na capital acreana. Rosemilda Oliveira da Silva, de 26 anos, foi morta com dois tiros dentro de casa, na Cidade do Povo. Ela estava com a filha de 3 anos de idade e com sua irmã.
Na mesma madrugada, o jovem Felipe Ramon foi executado, com 12 tiros, enquanto dormia em sua casa, também na Cidade do Povo. O jovem era detento do semiaberto e teve sua casa invadida por integrantes do Comando Vermelho. Segundo a polícia, Ramon teria saído do presídio há cerca de 4 meses.