Pular para o conteúdo

Sem garantia de policiamento 24h, servidores podem fechar Upa da Cidade do Povo

FOTO/DIVULGAÇÃO

O ambulatório da UPA da Cidade do Povo voltou a funcionar na noite de segunda-feira, 20, após três dias sem atendimento. A Unidade de Pronto Atendimento ficou parcialmente fechada após o assassinato de um integrante de facção criminosa na porta da frente do local.

A situação piorou depois de alguns servidores serem ameaçados de morte por um dos usuários. Nesse sentido, os servidores da unidade decidiram, por conta própria, paralisar as atividades.

Médicos, enfermeiros e atendentes foram até a Delegacia de Flagrantes registrar um boletim de ocorrência. Na tarde de segunda, 20, representantes da secretaria de Saúde do Acre (Sesacre) se reuniram com servidores e representantes do sindicato da categoria.

“Ficou acordado que o Governo do Estado, por meio da Polícia Militar, fornecerá segurança 24 horas à unidade por tempo indeterminado, a partir desta segunda-feira, enquanto que as avarias causadas nas instalações também já estão sendo reparadas”, disse, em nota, a Sesacre.

Por outro lado, o presidente do Sindicato dos Servidores em Saúde, Adailton Cruz, afirmou, em entrevista ao Jornal A GAZETA, que se o policiamento não for 24 horas, a unidade será fechada pelos servidores.

“A guarnição foi enviada hoje [terça-feira, 21] pela manhã e a unidade foi reaberta. Mas ainda não temos garantia de que a guarnição vai ficar 24 horas. Se não ficar, a unidade será fechada. É um dever do Estado garantir segurança, e um direito do profissional não se apresentar ao trabalho quando o Estado não oferece essas condições”.

Ainda de acordo com o sindicalista, a medida deve ser tomada em todas as unidades onde ocorrer ameaças e/ou crimes. “Hoje nós nos reunimos com o Ministério Público e pedimos apoio para criar um sistema de segurança ou algo similar para garantir a segurança dos profissionais”.

A categoria deve se reunir, mais uma vez, com a cúpula de segurança nesta quarta-feira, 22, para definir os pontos de policiamento 24 horas.