Coluna Da Redação – 04/02/2020

Jogo pesado

O jogo segue pesado para as eleições de outubro. O presidente do PSL no Acre, Pedro Valério, confirmou a informação em uma rede social da possibilidade do vice-governador Major Rocha (PSDB-AC) ter ido à Brasília para “tomar” o partido que hoje segue sob seu comando. “Informação que nos foi passada por pessoas que transitam nas intimidades do Palácio Rio Branco e que em caso de veracidade não será a primeira nem a última vez que tentarão”.

Fedeu

Pedro Valério deixou claro que a intenção do PSDB acreano em cooptar o PSL é apenas com vistas no tempo de rádio e TV e nada mais. E acrescenta: “essas pessoas JAMAIS vão permitir que o PSL cresça pra ocupar o espaço que se consideram DONOS e nossos Dirigentes sabem disso”, ao lembrar que confia no trabalho do presidente nacional Luciano Bivar.

Tênue

Acontece que o PSL enfraqueceu no Acre quando membros do partido resolveram integrar o governo de Gladson Cameli sem o aval do presidente Pedro Valério. Tião Bocalom e Ulysses Araújo contrariando Valério aceitaram a proposta gulosa do governo e foram cooptados, deixando Valério e os companheiros em situação tênue.

Interessante

O deputado Edvaldo Magalhães (PCdoB) vai apresentar hoje, dia 4, um requerimento pedindo a instalação do Conselho de Estado. O Conselho, como o próprio nome já diz, é uma ferramenta a mais que pode ser utilizada pelo governador Gladson Cameli (Progressistas) no enfrentamento ao crime organizado. Além de parlamentares, o Conselho é formado por membros do MP-AC, Judiciário e da sociedade civil.

Responsável

A proposta de Edvaldo Magalhães está prevista na Constituição Estadual. Deve ser utilizada quando houver problemas complexos com implicações sociais, como é o caso da violência desenfreada que assusta os acreanos. Não é por ser de um membro de oposição que não deve ser acatada. A proposta é interessante e propícia para o momento.

Preocupante

A violência no Acre chegou a números absurdos. Tivemos mais mortes em Rio Branco por 100 mil habitantes que em Manaus, que tem uma população absurdamente maior que a capital acreana. Foram 39 mortes em Rio Branco, das 47 registradas em janeiro no Acre.

Eleições

Diante disso e do domínio das organizações criminosas, a Justiça Eleitoral monitora grupos que estariam se arquitetando para atuar diretamente nas eleições e assim influenciar no resultado nas urnas. Conversas com a Polícia Federal estão sendo mantidas com a finalidade de interceptar essas ações criminosas.

Pauta

De acordo com o deputado Gehlen Diniz (Progressistas), líder do governo na Aleac, a ideia é pautar as comissões com propostas dos deputados que foram retiradas de pauta no ano legislativo anterior. O PL que cria o Instituto de Gestão de Saúde do Acre (IGESAC) ainda não tem data para retornar à Aleac.

Baixo

Baixo e sem qualquer nexo com a realidade o vídeo que circula nas redes sociais em que dois personagens Coxinha e Doquinha, parodiados, associam o deputado Roberto Duarte (MDB) à velha política. Duarte é um parlamentar de princípios. Mesmo sem oficializar sua pré-candidatura, Roberto Duarte já começa a incomodar seus adversários. O gaúcho não é fraco, não!

Brasília

O governador Gladson Cameli (Progressistas) viajou para Brasília. Na mala, renegociação de dívidas do Estado e agenda com o ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro. Se Moro leu as notícias daqui, não gostou nadinha de saber das declarações do secretário de Segurança Pública, Paulo Cézar Santos, sobre a Força Nacional. “É uma falácia da União”. Não mentiu.

Assuntos desta notícia