Coluna Da Redação – 08/02/2020

Reação

Após o período de inércia, a Segurança Pública, diante do apelo popular, começa a apresentar sinais de reação contra o crime no Acre. Durante esta semana, foram sentidas. As autoridades de Segurança, governo, deputados e senadores foram sacudidos com a possibilidade de se declarar intervenção federal no Estado.

Deu certo

Se o intuito do deputado Roberto Duarte (MDB) e do vereador Emerson Jarude (sem partido) eram chamar a atenção, uma vez que são sabedores de que as chances de se declarar intervenção são remotas, deu certo. O governador Gladson Cameli se mexeu e convocou uma reunião para domingo, dia 9.

 Lero-lero

Torçamos para que não seja mais uma “reunião enche linguiça”, aquela que todo mundo tem a palavra e no final todos vão para suas casas e os crimes seguem tirando o sono das pessoas nas ruas. Não pode ser assim.

Faça sua parte

O deputado Edvaldo Magalhães (PCdoB) desde a quarta-feira, 5, alertou para a necessidade de a Assembleia apresentar um pacote de medidas do Legislativo. O Judiciário e o Ministério Público poderiam fazer o mesmo. A população espera coisas concretas, palpáveis, visíveis, imediatas, pra ontem. A ideia é que cada um faça a sua parte.

Egos de lado

Importante é que, na reunião de domingo, todos os egos fiquem de lado, de preferência em casa, e todos sigam despidos de suas vaidades pessoais. O que está em jogo são vidas. É importante a busca de soluções com a união de todos. O Acre clama por paz!

Na linha de frente

O deputado Roberto Duarte vai estar na linha de frente para a Prefeitura de Rio Branco, pelo MDB. Ele lança sua pré-candidatura na segunda-feira, 10, a partir das 10h, no auditório da Aleac. Certamente, uma das mais competitivas pré-candidaturas até aqui apresentadas.

PSL

O PSL tem duas pré-candidaturas postas. A primeira é a do jornalista Rogério Wenceslau e a segunda do pecuarista Fernando Zamora. O partido ainda vai apresentar um terceiro nome. Dos três, ficará somente uma. Os nomes apresentados até o momento são qualificados. O PSL vem firmar pra disputa. Os debates na TV ganharão peso tanto Rogério ou Zamora sejam escolhidos. Ambos se expressam bem e pode colocar muita gente em saia justa.

Silêncio

Do lado petista, o que se houve é o silêncio. O partido ainda não disse oficialmente se apoiará ou não a prefeita Socorro Neri (PSB). Se for contrário, terá três nomes para a competição. O ex-prefeito Raimundo Angelim, este com mais chances; Binho Marques, ex-governador tido como um quadro técnico; e Jorge Viana, ex-senador, ex-prefeito e ex-governador, mas com desgastes por carregar o peso da Frente Popular e da ideia de florestania, tão combatida em temos bolsonarianos.

Trabalho

A prefeita Socorro Neri (PSB) tem se fechado nesta reta final do mandato. Não declara nada sobre eleições. Segue firme no propósito de avançar na recuperação da cidade. Rio Branco já tem uma nova cara desde que ela assumiu. A ideia é chegar em outubro com um cenário mais positivo ainda. Ou seja, menos buracos nas ruas possível.

Não há razões

Não vejo motivos, a não ser políticos, para a saída do presidente do Iapen, Lucas Gomes. Faz um trabalho sério nos presídios do Acre. Ontem mesmo estava inaugurando o primeiro canil penitenciário, em Senador Guiomard. A ideia é ter uma matilha ágil e preparada para atuar no sistema prisional.

Mineração nas aldeias

A ideia do Governo Federal de exploração de minérios em terras indígenas é o tipo de projeto de “legalização disfarçada”. Ou seja, é evidente que nenhum povo indígena o domínio dessa exploração caso transfira isso para uma empresa especializada e com isso receba dividendos.

Resultado

O resultado disso será mais destruição desses povos e dos ecossistemas que estão inseridos. Deixe os indígenas viverem com sua cultura, seu modo de vida. Fomente-se o etnoturismo. Seria mais viável e mais preservacionista do ponto de vista ecológico.

 

 

Assuntos desta notícia