Coluna Da Redação – 2102/2020

Lenha pra fogueira

Um dos assuntos do dia ontem, nas rodas de conversas políticas, era a da interrupção nas ocorrências de mortes violentas no Acre, nestes últimos dias. A trégua é comemorada por aliados e apoiadores do governo. Bons números têm mesmo que ser exaltados. E a redução de homicídios no Estado é uma notícia, de fato, excelente, maravilhosa.

Vale para os dois lados

Só uma coisa é que fica estranha nisso tudo. Destoa. Quando as coisas estão uma desgraça, no sufoco da crise, um dos primeiros argumentos governista é de que a Segurança Pública é tema complexo, que deve ser encarado com seriedade e que não se deve fazer politicagem com isso. Falar mal é oportunismo.  Mas e quando é para se falar bem, como que fica?

Impossível desatrelar

Têm que parar com isso. Temas como Saúde, Educação e Segurança Pública são inerentes à atividade política. Jamais se deve evitá-los. Desmerecer quem faz a crítica não é a reação certa. Trabalho duro, com bons resultados a se apresentar sobre isso, sim, é a melhor resposta.

Além do mais

Os problemas na Segurança, por ora, estão sob controle. Mas os gestores da área não devem se descuidar. Nem por um segundo deve passar por suas cabeças a expressão “Ufa”! O nosso sistema, de modo geral, segue sendo altamente propício a novas crises. Nesse ínterim, novas estratégias devem ser boladas. É muito melhor pensar soluções na paz, do que na pressão.

Mais um bom resultado

É admirável a gestão de Socorro Neri à frente da Prefeitura de Rio Branco. A prefeitura só vem colecionando sucessivos bons indicadores, nos últimos meses. A divulgação desse ranking das capitais brasileiras com melhor saúde financeira publicado pelo portal G1, com levantamento da Consultoria Tendências, só corrobora isso, mais uma vez. Rio Branco ficou com nota 9,06.

Ser responsável

Esse cenário positivo é cada vez mais raro nos dias atuais, onde os órgãos do Executivo atravessam grave crise econômica, com inchaço de despesas, escassez de recursos, medidas de austeridade fracassadas, escassez de servidores eficientes e penalidades por descumprirem limites impostos pela Lei de Responsabilidade. É preciso ter exímia responsabilidade no uso dos recursos públicos. E é isso que a prefeitura vem demonstrado, com destaque.

Eficiência

Orçamento público tem que ser bem planejado e executado com zelo. Uma boa gestão assim se faz. A prefeitura tem conseguido fazer muito pela população, não se escondendo das suas responsabilidades. O orçamento municipal não é ostentoso. Pelo contrário, é apertado, cerca de 10 vezes menor que o do Estado, por exemplo. E ínfimo diante do aporte que tem a União. Mas as ações municipais estão presentes na vida do povo. É algo a se refletir.

Um espelho ao Estado

A gestão do governo Gladson, ao invés de copiar modelos de Agronegócio de Estados vizinhos ou linhas bolsonarianas mirabolantes, pode e deve se espelhar nessa eficiência demonstrada pela Prefeitura de Rio Branco. Não é vergonha alguma copiar algo que dá certo, que é positivo.

Bom para o povo!

Este é um ano eleitoral, e, antes que os mais críticos comecem a chiar, vale ressaltar que notícias como essa não devem ser consideradas como propaganda eleitoral fora de hora, antecipada. São fatos. E fatos não são campanha. São simples constatações de números e estatísticas. Assim como também é fato que quem estiver sentado na cadeira de prefeito(a) em 2021 vai pegar uma prefeitura enxuta e eficaz. Isso é muito bom para a população.

Não foi dessa vez

Os fieis torcedores do Corinthians não vão votar “com amor à camisa” do clube. O Plenário do Superior Tribunal Eleitoral não aceitou o registro do partido fundado por torcedores do time, o PNC (Partido Nacional Corinthiano). A sigla não conseguiu cumprir requisitos para o registro.

Não se misturam

Agora vamos combinar: nada a ver esse negócio de misturar política e futebol. Se passasse, do jeito que a população brasileira vota por paixão acima da razão, bem capaz de o partido ter candidatos eleitos só por serem corinthianos. E se a moda pega? Logo torcida de cada clube ia fazer o mesmo. Digamos que de política e futebol, é melhor cada um ficar no seu quadrado.

Alerta

É nítida a preocupação do Ministério Público e outros órgãos do Judiciário quanto à chamada importunação sexual. Estão fazendo campanhas contra, ressaltando em entrevistas nessa véspera de Carnaval. Isso tem um motivo: trata-se de uma modalidade relativamente nova de tipificação penal. Isso significa que é CRIME. Dá cadeia. E a pena não é tão branda, não. Reclusão de 1 a 5 anos. Por isso fica o alerta aos foliões: Não é não.

 

Assuntos desta notícia