Da Redação – 01/02/2020

Corrobora

O projeto encabeçado pela deputada federal Mara Rocha (PSDB/AC) em tornar o Parque Nacional da Serra do Divisor em uma simples Área de Proteção Permanente (APA) corrobora com o discurso do Governo Federal, que é expandir a fronteira agrícola e de exploração mineral. Neste caso, a desculpa utilizada é a integração com o Peru. Desnecessário o projeto.

Biodiversidade

O Parque Nacional da Serra do Divisor tem uma das maiores biodiversidades do planeta. É uma riqueza dos acreanos que pode ser explorada de outra maneira. O Turismo, por exemplo, seria uma das saídas econômicas para a região. Uma rodovia acabaria afetando o ecossistema do Parque. Não sou biólogo, mas a ideia é impopular.

Volta do recesso

Os deputados estaduais voltam do recesso na terça-feira, dia 4. Os debates serão acalorados sobre Segurança Pública. A oposição soube esperar. Deu um ano de trégua ao governo. Nenhum deputado da oposição foi para o enfretamento quando o assunto era Segurança Pública. Haviam acabado de deixar o governo. Seria incoerente qualquer discurso nesse sentido. Mas, passado um ano e um mês de gestão, já se pode soltar o verbo.

Não veio

A oposição vai deitar e rolar em cima das declarações do secretário de Segurança Pública do Acre, Paulo Cézar Santos, que prometeu sensação de segurança em 10 dias de governo. Não veio. Ficou na dívida. A frase foi incorporada ao imaginário popular. Para apagá-la, precisa de um trabalho sério e robusto na pasta.

Soltou o verbo

O secretário Paulo Cézar Santos soltou o verbo esta semana em uma coletiva de imprensa ao lado de Gladson Cameli (PP). As declarações deixaram até o governador impactado. De acordo com Cézar, a Força Nacional “é uma falácia”. Ou seja, feita para inglês ver.

Esquece

Entretanto, o secretário esquece que quem comanda o País hoje é um amigo do governador Gladson Cameli, o presidente Jair Bolsonaro. Gladson já fez duas viagens presidenciais. Uma para os Estados Unidos e outra para a China. Poderia o governador utilizar da mesma proximidade e pedir mais recursos para a Segurança.

Aos poucos

Aos poucos, o secretário de Saúde, Alysson Bestene, vai conseguindo responder aos anseios da população. A Saúde, que era um problema com Mônica Feres, passa a ser as atenções do governo. Se Alysson seguir acertando, ponto para o governo. Entretanto, como tudo não são flores, precisa resolver de imediato a questão das cirurgias cardíacas.

 China

Com a informação que corre o mundo sobre o coronavírus, a economia chinesa deve ser afetada. Pouca gente quer manter relações com o país asiático. Muitas agendas foram canceladas, inclusive com o Brasil. Entretanto, o governo chinês segue dando exemplo quando o assunto é saúde. Buscam todos os meios para conter a doença.

Minguou

Por aqui, minguou a ideia de trazer os chineses para a Zona de Processamento de Exportação (ZPE). Foi anunciada no ano passado a chegada de 40 empresas, com geração de 20 mil empregos. Mas, parece que tudo não passou de um balão de ensaio. Se estiver acontecendo alguma movimentação, era interessante o governo divulgar essa agenda.

 Guerra urbana

A guerra urbana que se abateu sobre as cidades do Acre deixou mais de 40 mortos só em janeiro deste ano. O número preocupa. A maioria são jovens entre 16 a 32 anos. O Estado precisa reforçar o time da Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP). Elucidar é o primeiro passo para por fim à impunidade e trazer a paz de volta às ruas.

Retorno

Retorno à Coluna após dias de descanso. Fevereiro começa com boas perspectivas. Com o retorno do Parlamento na terça-feira, 3, o que não vai faltar é assunto. E, nós continuaremos na trincheira do bom jornalismo, priorizando a verdade dos fatos, opinando quando for necessário. Adiante meus amigos e leitores!

Assuntos desta notícia