Protesto dos policiais civis e homologação de concurso marcam a 1ª segunda-feira de fevereiro

FOTO/ SERGIO VALE

Marcado há alguns dias, o protesto dos Policiais Civis do Acre reuniu, nesta segunda-feira, 4, centenas de profissionais em frente à Assembleia Legislativa do Acre (Aleac). O ato contra a Reforma da Previdência, que ocorre em todo o país, coincidiu com o início dos trabalhos na Casa do Povo.

Segundo o presidente do Sindicato dos Policiais Civis do Acre, Tibério Costa, o ato é em favor de uma aposentadoria policias mais justa. Em todo o país, policiais ligados a Confederação Brasileira dos Trabalhadores Policiais Civis foram às ruas.

“Aproveitamos a tramitação da PEC paralela que vai modificar as regras da previdência para pedir apoio dos nossos parlamentares para que aquilo que os policias civis acreditam como justo seja contemplados com textos modificativos na regra atual, que traz severos prejuízos”.

O sindicalista destaca que o movimento também quer chamar atenção do governo do Estado, sobretudo com relação ao pagamento de retroativos de promoção e titulação dos policiais.

“Nenhuma dessas demandas foi solucionada pelo governo. Da mesma forma, as delegacias continuam em estado precário, e tudo isso penaliza a população, já que não conseguimos solucionar o grande numero de investigações pendentes”.

E a contratação dos policiais?

No mesmo dia, o Governo do Estado homologou o resultado final do concurso público da Polícia Civil. O Diário Oficial do Estado (DOE) desta segunda, 4, lista os nomes de 172 agentes de polícia, 25 auxiliares e necropsia, 37 delegados e 35 escrivães, além de seis agentes e dois delegados da cota de portadores de deficiência.

Resta saber se o governo programou a publicação para coincidir com o ato dos policiais civis na tentativa de amenizar a situação entre a categoria e o poder executivo. Apesar de homologado, ainda não há precisão para a contratação dos profissionais.

Assuntos desta notícia