Coluna Da Redação – 07/03/2020

Fora do páreo

Fora do governo de fato. O Diário Oficial do Estado (DOE) de ontem, 6,  trouxe a exoneração do professor Carlito Cavalcanti do cargo de presidente do Instituto de Mudanças Climáticas e Regulação dos Serviços Ambientais (IMC). Caiu junto com ele a consultora ambiental e diretora executiva do IMC, Julie Messias. O motivo da saída dos dois foi a não aceitação da interferência do secretário de Meio Ambiente, Israel Milani na pasta.

Rei morto, rei posto

No lugar de Carlito Cavalcanti assumiu o procurador do Estado, Érico Pires Barboza. Assume interinamente o lugar de Julie Messias, a jornalista Ângela Rodrigues. Ela é chefe de Departamento no Instituto de Mudanças Climáticas e Regulação dos Serviços Ambientais (IMC). Ambos tocarão a agenda ambiental que compete ao IMC.

Limpeza

Fontes ligadas ao IMC afirmam que a família Milani vem fazendo o ‘limpa’ na autarquia. Cargos de confiança que estavam sob o alcance de Carlito Cavalcanti, um dos idealizadores do projeto de governo de Gladson Cameli, estão na lista de degola. Certamente, com a saída de Carlintinho, como é chamado desde o tempo da Ufac, a faxina será geral nos próximos dias.

No MDB

Quem vem reforçar os quadros do MDB é o servidor da Assembleia Legislativa e suplente de vereador, Sérgio Onofre. Ele passa a integrar as fileiras do MDB a convite do deputado estadual e pré-candidato à Prefeitura de Rio Branco, Roberto Duarte. Um bom nome certamente. Engrandece o MDB a vinda dele para o Partido. Aliás, o MDB promete vir este ano com um bom time de candidatos a vereador.

Organizando

Quem está organizando bem seu partido é o presidente do PROS no Acre, Francisco Dêda. Todo dia ele recebe visita de lideranças e amplia os horizontes do Partido. Na Aleac, Dêda tem o apoio da deputada Maria Antônia, sua esposa. A dupla é boa de voto. Os dois fazem um trabalho de acolhimento às populações do Vale do Juruá. Isso conta muito na vida política.

Contas

O Tribunal de Contas do Estado tem fechado o cerco contra gestores gastadores. Quem entrou na mira da Corte de Contas foi o prefeito Iderlei Cordeiro, de Cruzeiro do Sul, que parece viver um inferno astral, com operações da Polícia Federal e agora uma notificação do TCE aconselhando ele a suspender atos como a contratação de pessoal.

Está escrito

O governador Gladson Cameli anunciou para os meses de abril e maio a contratação de 500 novos policiais civis e militares. Aos militares, Cameli prometeu empossar no dia 20 de abril e os civis dia 21 de maio. A cobrança é antiga, além disso, o prazo de validade do concurso começa a expirar. Se confirmado, Gladson Cameli cumpre uma promessa de campanha feita aos policiais.

Adiada

O PL que visa desmembrar a Secretaria de Gestão Administrativa e Planejamento (Seplag) para ser como era antes ainda não foi votado na Aleac. A matéria deve ser apreciada na próxima terça-feira, 10. Antes, os parlamentares analisarão alguns vetos que ainda estão pendentes na Casa.

Na Polícia Federal

O deputado Fagner Calegário esteve na sede da Polícia Federal prestando depoimento acerca da denúncia feita por ele no plenário da Aleac de que empresários estavam sendo extorquidos com cobrança de propina por emissários que agiam em nome do governo. Após fazer a denúncia, o parlamentar disse, à imprensa local, que pedirá auxílio das forças federais para sua segurança. O parlamentar teme pela sua vida e da família.

Polêmico

O PL de autoria da deputada Mara Rocha (PSDB/AC) que pede a redução da Reserva Extrativista Chico Mendes segue tramitando nas comissões da Câmara. A matéria é polêmica. Ambientalistas são contrários à proposta. Segundo eles, além de colocar os ecossistemas da Reserva em risco, seria uma afronta à luta do sindicalista Chico Mendes, morto em 1988 por defender seringueiros e as populações tradicionais.

Assuntos desta notícia