Coluna Da Redação – 12/03/2020

Confirmados

E confirmaram os primeiros dois casos de coronavírus na Bolívia. São moradoras de Santa Cruz de La Sierra e Oruro, que viajaram recentemente para a Itália. Não é exatamente pertinho (são cidades que ficam a mais de 1.600 km de Rio Branco), mas, ao olhar no mapa, dá medo.

Inevitável

O ritmo com que se espalha o coronavírus provoca uma histeria geral. As pessoas e estão com medo, mas a verdade é que, pelo que vem se divulgando, parece que não há muita escapatória. O vírus se espalha como gripe. Virou pandemia. Até no dinheiro ele pode se propagar. Já aportou no Brasil, em vários Estados, e agora na Bolívia. O Peru tem casos suspeitos. A chegada ao Acre é iminente. Uma hora vai acontecer.

Frear os impactos

Se não dá pra evitar, nossos esforços tem que ser no sentido de reduzir os impactos da doença. Esclarecer a população sobre o vírus, medidas de higiene para evitá-lo, minimizar a sua disseminação, investir em aquisição de remédios e tratamentos.

Falta divulgação

A Sesacre está engajada nesse sentido. Faz capacitações com os servidores e lança constantes notas esclarecendo sobre a doença. Cadê as campanhas em rádios, jornais, TV, sites? As ações têm de chegar à população. Afinal, são poucos os que leem notas. O que o deputado Edvaldo Magalhães disse ontem foi certeiro: o governo precisa enfrentar com mais seriedade essa campanha de Fake News que há em cima do coronavírus.

Jantar em Boa Vista-AC

E não é que o vice-presidente Hamilton Mourão veio mesmo para agenda no Acre. Olha que ele nem se enganou quanto ao destino, nem foi parar em Boa Vista. Conseguiu chegar direto aqui. Mourão desembarcou na terrinha ainda na terça, e ontem já participou de um monte de coisas. Foi na academia malhar, visitou museu e ganhou até jantar com direito a Heineken e comidas típicas [aliás, meu convite não chegou, viu?]. Chique!

Eu não queria

Agora, vamos combinar, não deixou uma boa impressão esse forte aparato de segurança e até o cerco de isolamento que montaram para barrar acessos da imprensa ao vice-presidente. Nem celular podia. No que diz respeito à Imprensa, particularmente, eu digo que nem queria falar com ele mesmo. Nem precisava disso tudo.

Resultados

De prático, a agenda inteira não enriqueceu muito os debates sobre as mazelas aqui da Amazônia. Falou da violência, estudou história do Acre. É só. Visita muito cara, diga-se de passagem, para pouco resultado prático. Ficou devendo anúncios. Mourão se limitou a dizer que vai levar o que viu aqui ao ministro Sérgio Moro. Preferia, então, que tivesse vindo logo o Moro pra cá [embora ele já tenha vindo, mas não mudou muita coisa também].

Bora voltar?

Falando em Mourão, seu titular, o presidente Bolsonaro, falou mais uma das suas pérolas. Disse que tem convicção de que houve fraude nas eleições 2018, a que o elegeu presidente. Diz o “capitão” que, na verdade, ele teria ganho era no primeiro turno, e não no segundo. Tem até provas. Oi? Eu sigo as palavras do Dória: acho que a gente devia fazer novas eleições. Tudo novo de novo. Saudades das brigas na família, de não falar com alguns parentes, dos memes!

Exoneração

E a novela envolvendo a saída de Lucas Gomes do Iapen-AC parece se encaminhar para os seus últimos capítulos. Segundo ele, sua exoneração deve sair no Diário Oficial do Estado hoje. A passagem de Gomes pelo sistema prisional foi, sim, marcante. Não dá pra negar. Há quem gostou, há quem não gostou! Teve ápice, teve crise, teve atrito com Judiciário, fuga em massa. Vish, foi muita coisa.

Vaga ardilosa

A vaga deixada por Lucas Gomes não é das mais “queridas”. Exige pulso firme e nervos de aço porque as críticas são muitas. Quem for assumir o Iapen vai ter trabalho para lidar com os gargalos que se acumulam há anos na pasta.

Assuntos desta notícia