Governador pondera volta à rotina na semana que vem, dependendo dos números da Covid-19 nos próximos dias

Um dia após reeditar o decreto contra o novo coronavírus, ampliando os estabelecimentos comerciais que podem voltar a abrir as portas no Estado, o governador Gladson Cameli agora pondera que a vida dos acreanos poderá voltar ao normal a partir da segunda-feira da próxima semana, dia 30.

O chefe do Executivo avalia que a medida não será prematura. Será bem estudada, após Cameli se reunir com o comitê montado especialmente para executar ações para conter a infecção da Covid-19 no Acre. Gladson e o comitê vão esperar para avaliar o avanço do vírus a nível local, com base nos números do boletim da Sesacre de hoje, 27, até domingo, 29.

Governador frisou que vai avaliar números em boletins dos próximos dias junto ao comitê de combate à doença antes de tomar decisão (FOTO ACERVO SECOM ACRE)

Em redes sociais, uma parte da população comemora retomar a rotina, tendo em vista as perdas econômicas pela paralisação das atividades ocasionadas pela medida do isolamento social, sem falar que agrava a situação de pessoas em situação de vulnerabilidade social (a exemplo de moradores de rua, imigrantes) e corta a renda de trabalhadores autônomos.

De outro lado, os defensores do isolamento social criticam o retorno das atividades por colocar a saúde em primeiro lugar, acima de fatores econômicos. Apontam que o governo de nenhum estado brasileiro está pronto para lidar com um quadro fora de controle da pandemia da Covid-19, como os registrados na China e na Itália. A consequência é ter um colapso no sistema público de saúde e poderia significar muitas mortes de pessoas do grupo de risco.

Fato é que olhar só os números oficiais não é um bom parâmetro. Variantes desses dados devem ser consideradas. Primeiro, especialistas apontam que os casos confirmados seriam apenas a ponta do iceberg do verdadeiro número de infectados pelo vírus. A cada 10 pessoas infectadas, 9 são assintomáticas e/ou não foram diagnosticadas (tratam da doença em casa).

Segundo, o governo do Acre reduziu o ritmo nos resultados de testes da doença do laboratório Charles Mérieux. Ampliou de 24 para 48h. Menos casos deverão aparecer nos próximos dias porque menos testes serão feitos. Ontem mesmo não teve novas confirmações, mas é porque apenas 10 resultados saíram. Outros 76 aguardavam análise.

Assuntos desta notícia