Política Local – 24/04/2020

Inadmissível

É inadmissível que diante de uma pandemia, em que o uso da água se faz primordial para evitar a propagação da covid-19, Rio Branco sofra com o desabastecimento pela ausência de um planejamento prévio dos gestores que comandam o Depasa.

Presídio

Também beira à irresponsabilidade deixar presídios e hospitais sem o produto. Pelo que se observa, há mais coisas debaixo do céu nesta questão do Depasa que se imagina. O governador Gladson Cameli (Progressistas) precisa cobrar direção uma postura mais responsável. O governo trabalha para combater a pandemia e, por outro lado, quem poderia auxiliar nisso, não o faz. Lamentável. Ontem, por pouco uma tragédia maior não ocorreu no presídio Francisco d’Oliveira Conde.

Nada animador

De acordo com o bom médico infectologista Thor Dantas, a pandemia causada pelo novo coronavírus deve durar até setembro. A informação não é nada animadora, mas é a realidade. Ao falar sobre o uso de máscara, ele elogiou a determinação do governador Gladson Cameli em tornar o uso dela obrigatório em espaços públicos e de grande circulação de pessoas.

Errou

O Partido dos Trabalhadores cometeu um erro ao publicar uma nota dizendo que não caminharia com a prefeita Socorro Neri em outubro deste ano. A decisão poderia ter ficado apenas nos bastidores. Diante da pandemia do novo coronavírus, a nota pegou e favoreceu o PSB. Podia ter esperado um pouco mais.

Focada

A prefeita Socorro Neri é muito focada. Falar de política partidária, eleições neste momento para ela, é o mesmo que falar aos muros. O foco dela neste momento é o combate a pandemia. Qualquer político que se arvorar em falar em eleições, corre o risco de ser tolhido do processo eleitoral pelo povo.

Sensato

O deputado Daniel Zen (PT) adotou uma postura sensata. Amenizou a nota do PT. Disse que o partido não caminhará com Socorro Neri, mas deseja a ela sucesso na caminhada. Ressaltou, também, que a linha adotada por ele, e também pelo PT, deve ser a do respeito a todos os pré-candidatos. Sensato e oportuno o pensamento de Zen.

Estranheza

O artigo publicado pelo professor Francisco Nepumoceno, o Carioca, mais parecia de alguém que não descarta uma aliança com ninguém para as eleições de outubro. Elogiou o MDB pelo crescimento, ressaltou o ganho de força política e Rocha diante do grupo de Cameli. Quanto ao PT, ele adotou um tom ameno. Deixou nas entrelinhas que o partido vai apostar em alguém experiente, maduro, pronto para resolver os problemas de Rio Branco.

Binho ou Angelim

Qual dos dois o PT deve lançar para a Prefeitura de Rio Branco. Binho ou Angelim. Binho fez um dos melhores governos da Frente Popular. Reconhecido até por adversários. Angelim deixou a prefeitura saneada financeiramente. Fez uma gestão enriquecedora e, mais que isso, tem memória eleitoral. Pelo tom dos cardeais petistas, alguém com experiência vai para a disputa.

Complicado

A prefeita Marilete Vitorino havia decretado o fechamento de acesso ao município de Tarauacá. Uma decisão judicial mandou abrir. Diante do impasse, sobrou para a população e para o sistema de Saúde, que pode ficar saturado caso a cidade comece a registrar casos da covid-19. Ontem, manifestantes fecharam a estrada de acesso em protesto à decisão judicial.

 Repúdio

O deputado Edvaldo Magalhães (PCdoB) repudiou as declarações do defensor público Valdir Perazzo, que criticou a atuação do médico infectologista Thor Dantas, que vem alertando a sociedade acreana a respeito do perigo causado pela novo coronavírus. Magalhães classificou a declaração de Perazzo como inoportuna e antidemocrática, pincelada com traços de preconceito. O parlamentar apresentou uma Moção de Repúdio.

Rejeitado

Os vereadores de Rio Branco rejeitaram a emenda do vereador Emerson Jarude (MDB), que ampliava o projeto de lei que isenta contribuintes da taxa de iluminação pública. Pelo projeto original, a medida beneficia apenas contribuintes cadastrados no CadÚnico.  A emenda visava estender a toda a população de Rio Branco.

 

 

 

Assuntos desta notícia