“Seguimos trabalhando para amenizar a crise provocada pela Covid-19 no Acre”, diz Nicolau Júnior

Em pronunciamento na sessão on-line desta terça-feira, 7, o presidente da Assembleia Legislativa do Acre (Aleac), deputado Nicolau Júnior (PP), disse que os parlamentares seguem apresentando e apreciando matérias com o intuito de amenizar a crise provocada pela Covid-19 no Estado.

Presidente da Aleac, deputado Nicolau Junior, frisou que o cenário atual da pandemia é grave, por isso, esse é o momento de unir forças (Foto: Raimundo Afonso / Agência Aleac)

Na ordem do dia desta terça-feira, os deputados estaduais aprovaram o projeto de lei de autoria do Poder Executivo que autoriza o Governo do Estado a contratar operação de crédito com a Caixa Econômica Federal. O pedido que tem o aval da União, dispõe do valor de R$ 510 milhões.

Segundo a mensagem governamental, a proposta tem por intuito incluir o pagamento de precatórios na operação a ser contratada, pois considerando o problema econômico do Estado com a alocação de recursos escassos para pagamento dos precatórios, bem como o desafio de equilibrar seu orçamento de forma a contribuir com o desenvolvimento da atividade econômica e a aplicação eficiente dos recursos públicos, a adoção da presente proposta se mostra necessária ao deslinde financeiro.

A mensagem ressalta ainda que o alívio fiscal proporcionado pela operação de crédito permitirá uma maior movimentação na economia com a realização de novos investimentos, especialmente, na infraestrutura do Estado.

“Continuamos analisando e votando propostas importantes de autoria do Executivo e dos parlamentares, que visam amenizar a crise que estamos enfrentando devido ao novo coronavírus. Nós precisamos unir forças neste momento, a situação é grave e exige uma atuação firme desta casa”, enfatizou Nicolau Júnior.

Os deputados estaduais aprovaram ainda, os decretos de calamidade pública por causa da Covid-19, dos municípios de Sena Madureira, Assis Brasil e Mâncio Lima. Com isso, os prefeitos poderão fazer os remanejamentos  dos orçamentos que lhes convier para o enfrentamento à pandemia do coronavírus.

Assuntos desta notícia