ARTIGO: Mães que estão na linha de frente no combate à covid-19, vocês são super-heroínas

Este será um Dia das Mães diferente de todos. Será o primeiro que não poderei abraçar a minha amada mãezinha. Assim como eu, muitos estão na mesma situação devido ao distanciamento social, consequência da pandemia do novo coronavírus.

Às mães que trabalham na área da Saúde, todo o meu reconhecimento. Médicas, enfermeiras, técnicas em enfermagem e todas as mulheres que cuidam desde a limpeza até a administração dos hospitais, vocês são super-heroínas.

Muitas vão passar esta data especial longe dos filhos e da família para salvar vidas, amenizar as dores e os problemas de inúmeros pacientes. Sem elas, o que seria de nós?

O trabalho de vocês importa. Talvez vocês não tenham dos governantes o devido reconhecimento, mas eu nunca esquecerei todo o suor, todas as horas, as lágrimas e todo o esforço para cumprir o seu trabalho humano e essencial.

O que podemos fazer para que estas mães possam voltar em segurança para seus filhos? É simples. Apenas ficar em casa. E se precisar sair, por necessidade, não deixar de usar máscara. Cuidar de si já ajuda muito.

Segundo reportagem do jornal EL País, a taxa de letalidade por covid-19 entre profissionais de saúde no Brasil é das mais altas do mundo. O Conselho Federal de Enfermagem informou esta semana que 88 profissionais de saúde já morreram pela doença.

Somos um país com saúde precária. A falta de materiais de proteção é um dos principais motivos da contaminação e das mortes desses trabalhadores. Outra situação é que muitos desses profissionais não saíram ainda da linha de frente no combate à covid-19 por medo de sofrerem represálias.

E seguimos na fé de que tudo o que aflige o nosso país e o resto do mundo passe, e logo. Um dia a mesa voltará a ficar cheia de todos aqueles que amamos.

 

(*) Brenna Amâncio é jornalista.

E-mail: [email protected]

Assuntos desta notícia