Não tenha medo de dizer “sou positivo”

O novo coronavírus só vem se fortalecendo no Brasil. E no Acre a situação não é diferente. E as reações da população quanto à doença têm sido variadas. Uns menosprezam, outros ficaram neuróticos. Uns sofrem síndrome do pânico e quadro depressivo e outros já são corajosos demais. Cresceram também a quantidade de agressões domésticas e separações.

Todos estes são comportamentos humanos que devem ser levados mais em consideração. São sinais de alerta. A forma como se encara a doença é importante.

A repercussão que está tomando a pandemia é tão grave que levou o Acre a ter que editar uma lei contra fakenews. Isso, sim, é preocupante. As pessoas têm que levar as coisas mais a sério. Estamos de quarentena, não de férias. Já há casos até de gente fugindo de hospitais e negando para Deus e o mundo que esteja infectado. Não pode. Negar a doença não fará ela ir embora. Assuma. Se você tem a doença, se sente algum sintoma, diga alto e em bom tom: “sou positivo, sou suspeito”. Os outros precisam saber que estar perto de você não é seguro.

Além disso, o vereador N. Lima causou rebuliço em redes sociais ao reconhecer que estava errado ao cair na onda de que se tratava apenas de “uma gripezinha”. Após perder um amigo, Lima pediu desculpas à sociedade e reforçou o coro para a população ficar em casa. Portanto, sigam o exemplo. Quem um dia duvidou do coronavírus, arrependa-se. Acima de tudo, previna-se contra o vírus. Não espere perder seu pai, sua mãe, um ente querido, para mudar seu discurso, suas atitudes. Pare de ver apenas números. Comece a enxergar pessoas.

Assuntos desta notícia