Prefeitura reforça medidas para Rio Branco sair da faixa de emergência da pandemia

A primeira avaliação do Pacto Acre sem Covid que manteve a classificação dos níveis de risco de Rio Branco na faixa vermelha, de emergência, impõe o reforço das medidas decretadas para contenção da pandemia e por isso o Comitê Municipal de Enfrentamento ao Coronavírus conclama a população a colaborar para que, na próxima análise, a Capital avance para a faixa laranja e possa ter a flexibilização de algumas atividades comerciais e econômicas, que encontram-se atualmente com funcionamento suspenso.

O médico Oswaldo Leal, coordenador do Comitê, explicou que, apesar da classificação feita pelo Estado, os dados mostram também que as medidas regulamentadas pela Prefeitura de Rio Branco em conjunto com o governo estão surtindo efeito positivo, uma vez que houve a diminuição de 23% nas notificações de síndrome gripal nas unidades de saúde do Município, e que por isso devem ser reforçadas.

“Nós estamos no caminho certo. O Poder Público está fazendo sua parte, tomando todas as providências necessárias e já é perceptível a melhora nos indicadores, como a redução da procura por atendimento de casos suspeitos ou confirmados de Covid-19, sendo que houve uma diminuição no número de casos confirmados na última semana, em relação às anteriores”, disse.

Os números são do período de 21 de junho a 4 de julho e tendo em vista que o Pacto Acre sem Covid, estabelece como critérios para a classificação dos níveis de risco dados referentes à contaminação pelo coronavírus, responsabilidade social e capacidade do sistema de saúde, o médico Oswaldo Leal está otimista quanto à possibilidade de que Rio Branco avance para a faixa laranja na próxima reclassificação, já que ações junto à comunidade encontram-se em execução pela equipe da Secretaria Municipal de Saúde (Semsa).

“São dois movimentos importantes. A vacinação descentralizada da Influenza (gripe) e o inquérito epidemiológico, fundamental para a estimativa do número de pessoas infectadas pelo vírus e planejamento das ações de vigilância e assistência no nosso município Além disso, as Teleconsultas e o Telemonitoramento ajudam com que as pessoas fiquem em casa”, enfatizou.

Pela pontuação apresentada pelo Estado, dos critérios avaliados, a alta taxa de internação hospitalar, que teve redução de somente 17% no período, foi o que manteve Rio Branco e os demais municípios da regional Baixo Acre na faixa de emergência.

“Então é isso que precisa melhorar e precisamos que a sociedade faça sua parte, cumprindo o distanciamento social e as demais recomendações como o uso de máscara e álcool em gel.” destacou Leal.

O Boletim Epidemiológico da Semsa, desta semana, através do Centro de Informações Estratégicas em Vigilância em Saúde (CIEVS), do Departamento de Vigilância Epidemiológica, informa que os cinco bairros com mais casos confirmados de Covid-19 em Rio Branco são: Belo Jardim, com 232 e 07 mortes; Bosque com 12 mortes e 230 casos confirmados; Estação Experimental com 09 mortos e 191 casos confirmados; Vila Acre com 03 mortes e184 casos confirmados; e João Eduardo com 178.

Para conter o avanço da doença, serão mantidas e fiscalizado o cumprimento das medidas restritivas quanto ao funcionamento de estabelecimentos comerciais e à realização de atividades com maior risco de contaminação, conforme Decreto nº 5.496, de 20 de março de 2020 e suas alterações.

O objetivo é que na próxima avaliação do Pacto Acre sem Covid prevista para ocorrer em duas semanas, Rio Branco esteja apta para a retomada gradual e responsável das atividades econômicas e comerciais permitidas na faixa laranja.

Sobre o que poderá voltar a funcionar

De acordo com a resolução nº 2 de 3 de julho, publicada no Diário Oficial do Estado, que define o enquadramento dos setores e das atividades comerciais autorizadas a funcionar em conformidade com os níveis de risco, no laranja podem reabrir: lojas de móveis, eletrodomésticos, eletrônicos, comunicação, informática, áudio, vídeo e colchoarias, lojas de materiais de construção, empresas e obras do ramo da construção civil e demais estabelecimentos de sua cadeia de produção, distribuição e comercialização.

A faixa laranja permite ainda a reabertura do shopping, exceto áreas de lazer e alimentação, das feiras livres, comércio de rua e ambulantes e da indústria em geral. Bares, restaurantes, pizzarias, lanchonetes, sorveterias e similares, distribuidoras podem oferecer, exclusivamente, o serviço de delivery e/ou drive-thru.

Nesta fase, todas as atividades comerciais devem seguir os protocolos sanitários e limitar o atendimento a 30% da capacidade.

Os espaços públicos, parques, quadras poliesportivas, campos de futebol comunitário, espaços destinados para atividades físicas e similares, eventos religiosos em templos ou locais públicos, de qualquer credo ou religião, teatros, cinemas e apresentações culturais permanecem fechados. (Assessoria da Prefeitura de Rio Branco)

Assuntos desta notícia