ARTIGO – Poder concentrado

O Brasil é um dos países no mundo em que mais se arrecada impostos. Tem a segunda maior carga tributária da América Latina. Fica atrás apenas de Cuba. Em 2017, a carga tributária brasileira chegou a 32,4% de seu Produto Interno Bruto (PIB). Agrava-se ainda mais o problema quando os recursos são concentrados em Brasília. Além do mais, os serviços públicos são péssimos, não proporcionais, portanto, à carga de impostos é cobrada do povo brasileiro.

Enquanto empresários que produzem, geram empregos, salvam vidas da fome, não são perdoados e vão à falência. Alguns pastores, vermes manipuladores de parte da sociedade sem instrução, que nada produzem conseguem ter suas dívidas perdoadas. A ignorância humana não tem limites, que “Deus” perdoe os incautos!

Na prática, o Brasil é um país que decidiu distribuir riqueza antes de ser rico. É urgente uma redução aguda no tamanho do Estado e uma descentralização, assim como menos interferência sobre a vida dos cidadãos.

Essa semana a taxa de transmissão do Coronavírus aumentou novamente. Esse aumento segue a dificuldade que o país tem encontrado no combate ao Corona vírus, comparado com outros países do mundo. Mais uma vez, temos uma comprovação de como as ações provenientes do governo federal tem sido insuficiente e, muitas vezes, irresponsável.

É preciso estarmos preparados para o final do mês de setembro quando teremos o resultado das comemorações da “independência” nas praias brasileiras.

O grande estadista já falecido, ex-presidente Ronald Reagan já dizia: o poder concentrado sempre foi o inimigo da liberdade.


 


Beth Passos é jornalista 

E-mail: [email protected]

Assuntos desta notícia