Secretário adjunto de Saúde de Cruzeiro do Sul morre com Covid-19

O secretário adjunto de Saúde de Cruzeiro do Sul, Roberto Holanda, de 43 anos, morreu nesta quarta-feira, 2, com Covid-19 após um mês internado na Unidade de Terapia Intensiva (UTI). A informação foi confirmada pela Secretaria de Saúde municipal.

Holanda estava internado desde o início do mês de agosto em Rio Branco em tratamento contra a doença. Ele testou positivo para o novo coronavírus no dia 26 de junho e ficou em tratamento em casa. Mais de um mês depois, no início de agosto, Holanda piorou e foi internado no Hospital do Juruá.

Roberto Holanda era hipertenso e fumante e morreu com Covid-19 — (Foto: Reprodução Rede Amazônica Acre)

No dia 2 de agosto, o secretário foi transferido do Hospital do Juruá para UTI do Instituto de Traumatologia e Ortopedia do Acre, em Rio Branco. A família chegou a fazer campanha pedindo doação de plasma para o secretário.

Ainda segundo a secretaria de Saúde, Holanda era hipertenso e fumante. Muito abalada com a morte do colega de profissão, a secretária de saúde de Cruzeiro do Sul, Janaína Negreiros, falou da perda para a cidade porque, segundo ela, cada investimento dado à saúde tinha a participação de Holanda. O programa Saúde Fluvial era um projeto de criação do servidor.

“É uma notícia que, infelizmente, não gostaríamos de dar e a Saúde está de luto. O Roberto Holanda foi um companheiro da Saúde que tinha mais de 20 anos de dedicação, trabalhos prestados. Entrei aqui em fevereiro de 2000 e ele já estava. Nesse tempo teve uma grande contribuição”, destacou.

Ainda segundo a secretária, Holanda teve participação em construção e ampliação de unidades de saúde da cidade. Até a terça-feira (1º), Cruzeiro do Sul tinha mais de 3,1 mil casos de Covid-19 confirmados e 56 mortes pela doença.

“Pra mim, além de colega de trabalho, era um amigo muito querido e especial e tenho certeza que estaria feliz de trabalhar juntos. A saúde hoje chora a perda de um grande profissional e amigo. Não temos palavras, mas uma gratidão muito grande”, frisou. (Aline Nascimento / Do G1 AC)

Assuntos desta notícia