ARTIGO – Protocolo de mudança 

O Brasil atingiu a marca de 5 milhões de infectados e mais de 150 mil mortos. Embora a média de mortes por Covid-19 tenha recuado nas últimas semanas, o patamar ainda é elevado. Basta olhar os bares, banhos e praias cheias aos finais de semana. É um problema de disposição política, mas também psicológica de aceitação e combate à pandemia.

Definitivamente, o problema não está na ferramenta de controle, no isolamento social, mas naqueles que deveriam entender o seu uso, implementá-lo e não o fazem. Muitos de nós já começávamos a sentir uma mudança massiva chegando e alguns que falavam sobre isso. Independentemente do que ela pareça a você, é melhor seguir seu próprio protocolo da mudança. O que você faz quando precisa daquele extra de autocuidado? Como você libera o não desejado do seu espaço?

O Universo apenas pede que você permaneça ancorado e se cuide, bem como aos que o rodeiam, com compaixão e cuidado. E o Amor Incondicional será sempre bem-vindo.

Há quem repara nos sapatos, mas existe aquele que dá graças de se ter os pés para andar. Há quem admira os anéis, mas tem aquele que glorifica a sorte de se ter os dedos. Há quem se encanta com a cor dos olhos, e existe quem vê o milagre de poder enxergar. Tem quem só repara nos lábios, e tem aquele que se atenta a doçura das palavras.

De nada servirá o sapato se não tiver os pés para calça-lo. Será inútil o anel se lhe faltar os dedos, não serve a cor dos olhos se não puderes ver o colorido das coisas. A boca se torna suja quando as palavras são amargas. Tem certas coisas que o dinheiro não compra porque não tem preço, E SIM VALOR.



Beth Passos é jornalista 

E-mail: [email protected]

Assuntos desta notícia