Sistema Fecomércio/AC alerta empresariado quanto à mudança para Bandeira Laranja 

Novo nível vale para o Alto Acre e Baixo Acre-Purus
O Sistema Fecomércio-Sesc-Senac/AC alerta aos empresários quanto a mudança na classificação de risco da pandemia, ocorrida nesta sexta-feira, 11. Após reunião com membros da Secretaria de Estado de Saúde do Acre (Sesacre) e do Comitê de Acompanhamento Especial (CAE) da Covid-19, foi informado que regionais do Alto Acre e Baixo Acre-Purus regridem para a Bandeira Laranja (nível de alerta). A regional do Juruá-Tarauacá-Envira continua na Bandeira Amarela (nível de atenção). 
Ainda de acordo com a avaliação do CAE, a regional Alto Acre registrou aumento em três níveis indicadores, sendo classificada como nota 13.  Além disso, foi divulgado nova resolução responsável por enquadrar setores e atividades comerciais autorizadas ao funcionamento, segundo cada um dos Níveis de Risco estabelecidos no Pacto Acre Sem Covid. A ideia é unificar todas as resoluções anteriores relacionadas ao funcionamento dos setores comerciais durante a pandemia, com abertura para que praticamente todos operem com quantitativo e capacidades reduzidos, além de seguir as normas de biossegurança necessárias.  

Portanto, atividades como abertura de academias, igrejas, bares e restaurantes, antes não permitidos na fase laranja, passam a funcionar com redução maior que a verificada na fase amarela. Abertura de academias, igrejas, bares e restaurantes, que não eram permitidos anteriormente na Bandeira Laranja, passaram a ser possíveis com uma redução ainda maior que a verificada na Bandeira Amarela.

 

Deywerson Galvão, superintendente do Sistema Fecomércio-Sesc-Senac/AC, relembrou a importância de os empresários se comprometerem neste momento. “O novo coronavírus, infelizmente, já vitimou até a última sexta, 11, 747 pessoas em todo o estado. Portanto, é salutar que os empresários abracem essa causa para evitar o fechamento total das atividades. Por isso, medidas de biossegurança devem ser incentivadas ainda mais, e é necessário ainda verificar a capacidade de 30%, estabelecida pelo decreto”.

 

De acordo com Alysson Bestene, secretário de saúde, explicou que a nova resolução teria sido possível por meio de um trabalho coletivo, em que o governo do Estado teria ponderado os anseios dos representantes comerciais e sociais“É uma revisão de todos os segmentos, trazendo o funcionamento de todos os setores comerciais e sociais para a Bandeira Laranja com quantitativo menor. E é um trabalho que não pára no poder público. Cada pessoa precisa fazer sua parte, desde o setor privado, a população, para que não haja retrocesso por disseminação da doença”. A próxima avaliação está prevista para o dia 23 de dezembro. 


Os níveis de risco são classificados de acordo com a delimitação territorial por meio das regionais e são expressos por meio de 
um nota geral que varia de 0 a 15 e que é o resultado de mensuração de sete índices: notificação por síndrome gripal, novas internações por Síndrome Respiratória Aguda Grave, isolamento social, novos casos por síndrome gripal Covid-19, novos óbitos por Covid-19, ocupação de Leitos Clínicos e ocupação de UTIs.

Para mais informações de protocolos, acesse: http://covid19.ac.gov.br/

 

Assuntos desta notícia