ARTIGO – Desintegração  

Tínhamos tantos sapatos e vimos que só precisávamos de um chinelo para ficar em casa. As roupas entulhadas não serviam de nada. E o dinheiro no banco, para viagem, foi gasto com remédios e vitaminas.

Aprendemos que o sol cura tudo e tem de sobra a vitamina que estava escassa, D (D de Deus, de dividir!)

Vimos que supermercado era o nosso melhor passeio e também onde nosso dinheiro ia embora com o aumento de tudo. Vimos tantos empresários falidos e entendendo que o seu funcionário era o seu melhor amigo. E vimos também os funcionários reconhecendo que seu emprego era o melhor, era ele que lhe dava dignidade, só entenderam após a demissão. Vimos tanta gente nas filas do banco agradecendo pelo dinheiro que recebiam do governo com alegria e que antes esse mesmo dinheiro era rejeitado e amaldiçoado, pois diziam que não servia para nada.

Live com a família no aniversário era presente de Deus.

Vimos os netos com saudades dos avós.

E a dona de casa dar valor à empregada doméstica. E vice-versa; a empregada sentir falta da patroa que reclamava.

Vimos tantas pessoas morrendo e ninguém podendo velar, mas vi pobre e rico contraindo o mesmo vírus, independente se morava na favela e não lavava as mãos porque não tinha água e sabão e o rico com água aquecida e álcool gel por toda a casa morrendo porque seu pulmão não tinha o oxigênio a que nunca dera valor e que era gratuito.

Esse ano de 2020 vai ficar na memória por muitos anos.

Um vírus que morre com água e sabão e que ao mesmo tempo leva embora para sempre tantos amigos e amores, veio para alertar todos nós.

As mulheres assumiram seus cabelos novos, fios brancos, as unhas originais de fábrica.

Shoppings e comércio, com todos os seus atrativos, fechados.

Seria Deus, o universo, nos ensinando a valorizar o simples, o que de fato é importante, nos ensinando a sermos melhores?

As sementes do ano 2020 serão eternizadas dentro de nós para sempre porque a maioria entendeu que cada vez que duas pessoas se entendem e se perdoam, é Natal. Cada vez que você mostra paciência com quem convives, é Natal. Cada vez que você ajuda uma pessoa, é Natal. Cada vez que alguém decide ser honesto em tudo o que faz, é Natal. Cada vez que nasce uma criança, é natal. Cada vez que se respeita e se auxilia um idoso, é Natal. Cada vez que duas pessoas se amam com um amor limpo, profundo e sincero, é Natal. Cada vez que você olhar alguém com os olhos do coração, sem julgamentos ou críticas, é Natal. Cada vez que alguém socorre e devolve dignidade a um animalzinho, é Natal. Cada vez que você divide o pão da nossa mesa, é Natal. Cada vez que se demonstra amor ao próximo, é Natal. Cada vez que você faz uma reforma íntima e procura dar conteúdo novo a sua vida, é Natal.

PORQUE NATAL é Amor todo dia. Paz todo dia. Caridade todo dia. Justiça, todo dia. Compreensão todo dia. Respeito todo dia. Auto amor todo dia. Ação positiva todo dia. Amor à vida, todo dia. A partir dessas atitudes que: Nasce a Esperança, a Alegria, a paz.

Nunca será um verdadeiro Natal enquanto comemorarmos apenas uma noite com amor e nos esquecermos e nos desrespeitarmos o resto do ano. Façamos uma reflexão e cuidemos para que nossa vida seja um constante Natal.



Beth Passos é jornalista 

E-mail: [email protected]

Assuntos desta notícia