ARTIGO – Idolatria X Responsabilidade

Não idolatre nenhum político. Cada um faz a escolha que acredita ser a melhor. Uns são melhores, outros piores. Uns roubam, poucos ajudam. Mas recebem salários altíssimos para cumprirem o que prometeram. Ninguém ocupa cargo político sem remuneração. Ninguém está fazendo favor.

Os políticos devem ser cobrados sim. São funcionários da sociedade. Ninguém pediu ou os obrigou a aceitarem seus cargos. Quem se candidata e se elege deve saber também aceitar as críticas de suas falhas, seja por omissão, por má escolha de seus subordinados, devendo com humildade e decência admitir e consertar seus erros.

2020 nos mostrou que o que temos de mais valioso é a nossa saúde. Para quem está se preocupando com um lugar animado para passar o fim de ano, sugiro as Upas, Prontos socorros, são ambientes agitados, muitas famílias reunidas por seus pais, irmãos, sobrinhos ou amigos, internados por Covid. São bons lugares, para comemorar a insegurança, o medo, a tristeza, à espera de vaga para internação.

Para quem espera notícias nos hospitais, verifica-se plantões agitados, pessoas em insuficiência respiratória esperando internação e familiares de quem está internado, sem notícias. O contato é feito através de telefone uma vez ao dia por médicos que fornecem informações tão desencontradas que parecem falar de outro paciente, não do ente querido em questão. Ainda tem a frieza da equipe de apoio que parece treinada a demonstrar apenas indiferença. O famoso hospital de campanha modelo, INTO presta este tipo de atendimento. Conseguir andar pelos corredores é um “privilégio” apenas de quem é internado, dos mortos e alguns familiares dos mortos.

Um dos inatingíveis médicos informa que o paciente foi intubado as 4 horas da manhã, a assistente social diz que foi as 9 horas da manhã, já outra médica plantonista revela que foi as 10 horas da manhã outro assistente social diz que foi as 11 horas da manhã. Ninguém pode informar o que de fato acontece com um paciente internado naquele cemitério. Ninguém autoriza transferência ou atendimento de um profissional particular e o máximo que se consegue de informação é de um assistente social.

Contato mesmo ocorre quando o paciente está agonizando. Meu irmão Álvaro Ferreira dos Santos, teve 4 paradas cardíacas, a segunda levou 10 minutos para haver reação e até agora nossa família não sabe se de fato ele foi intubado ou esteve mesmo na UTI. Ou se toda essa agonia aconteceu num corredor ou enfermaria qualquer daquele lugar pavoroso.

Na imprensa somos acostumados a lidar com perdas, mas posso garantir que é por demais difícil receber a notícia, ainda mais quando é alguém que tem nosso sangue, que está enraizado em nosso coração.

Também é responsabilidade dos políticos que cerca de 648 mulheres foram vítimas de feminicídio no primeiro semestre de 2020. 88% dos feminicídios foram cometidos por companheiros ou ex-companheiros das vítimas. Nem no natal do país cristão há uma trégua. Pelo contrário: está virando tradição assassinar mulheres nessa data.

Fracassamos quando: escrevemos grandes textos de homenagem, ou planejamos uma festa para amigos ou mal conhecidos, e nos esquecemos de homenagear nossa família todos os dias.  Fracassamos quando: a xícara bonita é para os visitantes, mas para quem está em casa, a xícara quebrada.  Fracassamos quando: tentamos tanto agradar aos outros, mas fazer um favor à mãe é um fardo. Fracassamos quando: nas rodas de amigos ou nas redes sociais, demonstramos amor incondicional por nossa família, mas em casa nos recusamos a trazer um copo d’água para eles.

Nosso bem maior é nossa família e toda ação gera uma reação, somos responsáveis também pelo que está acontecendo com a saúde pública e a economia do nosso país sim. Com 212 milhões de habitantes, o Brasil registrou mais mortes por Corona Vírus no espaço de uma semana do que outros 63 países juntos ao longo da pandemia inteira. Esse grupo de nações soma 634 milhões de habitantes. Enquanto na maioria dos países a população já está vacinada, não temos sequer previsão de vacina.

A partir de agora escolhamos com critério e responsabilidade nossos representantes políticos. Fiscalizemos mais, acompanhemos suas ações, porque somos coautores de uma história na política, para que o bem comum seja efetivamente a única finalidade a ser alcançada.



Beth Passos é jornalista 

E-mail: [email protected]

Assuntos desta notícia