ARTIGO – Exercício de empatia 

Quando escuto dizerem que é preciso voltar à normalidade pela saúde mental das pessoas, pois todos estão cansados e ninguém mais aguenta ficar preso em casa, eu me pergunto se esta criatura se dá conta de como deve estar a saúde mental dos familiares dos mais de 180.000 mortos, ou dos que sobreviveram e estão com sequelas graves.

Pergunto-me se, por algum momento, passa na cabeça desta pessoa como deve estar a saúde mental dos profissionais da saúde que estão trabalhando exaustivamente, colocando a vida em risco dia após dia convivendo diuturnamente com a dor, o sofrimento e a morte; pergunto-me se este alguém imagina o cansaço de quem está lidando diretamente com a doença e se consegue imaginar o cansaço dos pesquisadores e cientistas que estão trabalhando numa vacina.

Então, você aí que está cansado de ficar em casa e preocupado com a sua saúde mental por não poder bater perna faça um pequeno esforço, faça um pequeno exercício de empatia e por alguns segundos se coloque no lugar de quem realmente está cansado e tem carradas de razão para estar com a saúde mental abalada.



Beth Passos é jornalista 

E-mail: [email protected]

Assuntos desta notícia