ARTIGO – Logística real

Depois que o erro de logística mandou para o Amapá 78 mil doses de vacina que deveriam ser enviadas ao Amazonas! É isso mesmo que você leu, a equipe do ministro Eduardo Pazuello trocou os Estados. Não sei vocês, mas estou focada em resolver questões “de logística” nos próximos dias, como uma boa compra de mercado, leitura e pôr em ordem essa bagunça toda em minha cabeça.

Sejamos práticos, com os números de lotação de UTI, não sei se teremos um lockdown, coisa que até hoje só algumas cidades do Brasil experimentaram de verdade, mas, no mínimo, uma volta ao fechamento quase total que ocorreu em março do ano passado, teremos.

Os hospitais do estado do Acre, públicos ou privados, colapsarão, se o contágio seguir no ritmo em que vem seguindo, penso que essa medida do toque de recolher, é insuficiente, mas foi bom o debate que ela causou. Esperamos que tenha servido para a população entender a situação de enfrentarmos também contágios de dengue e as doenças consequentes das inundações dos rios do Acre, que torna se muito mais grave essa guerra sanitária.

Felizmente o governador do Estado, Gladson Cameli, entendeu que não é hora de agradar setores, mas hora de paralisar tudo. Esperamos, ainda, que o Congresso esqueça toda e qualquer pauta que não seja votar imediatamente a volta do Auxílio Emergencial.

É um momento triste e introspectivo, em que atingimos o número oficial de 250 mil brasileiros mortos. Mas não há tempo para nos dedicarmos à introspecção que esse momento pede, pois é bom que todos nos dediquemos a nos planejar para um lockdown. Pois ele virá. Querendo-se ou não.

Beth Passos é jornalista 

E-mail: [email protected]

Assuntos desta notícia